A fantástica fábrica da Cravo & Canela

17 de Novembro de 2009

Bom, antes de qualquer coisa, preciso dizer que minha história com a marca começou nesse
post. Eu comprei por sugestão de uma vendedora o tão querido sapato de bolinhas e desde então descobri que a Cravo & Canela tinha outros vários modelos com esse estilinho pin up.

Totalmente alienada e passando por cima de qualquer princípio moral ou ético, entrei na promoção da Revista Incomum com o único objetivo de ganhar o sapato rosa que eu tanto queria, e ganhei. Depois, fui surpreendida com uma bota linda no Hot Blitz e participei da promoção que eu divulguei – mais três pares de sapatos lindos pra minha coleção.

Não tinha contado pra quase ninguém, mas eu fui convidada junto com outras gurias fofas (Cris, Deisi, Gina, Isa, Lily, Mari, Nana, Nani, ) para participar de uma ação super legal, o FERVO DA MODA da Cravo & Canela que vai acontecer parcelado em três encontros. O primeiro foi dia 13/11, sexta feira passada, em Ivoti, na fábrica da West Coast/Cravo & Canela. Super me senti num BBB indo de van para um hotel encontrar com meninas que eu ainda não conhecia! Ficamos em Novo Hamburgo na primeira noite e já foi super divertido.

Na sexta, partimos bem cedo pra fábrica onde pudemos ver todas as etapas de desenvolvimento dos modelos, conhecemos o pessoal que trabalha lá, a fofíssima Ani (nossa Bial) e ainda fomos apresentadas aos sapatos da nova coleção de outono/inverno 2010!! Lindos!!


Fotos roubadas sem dó nem piedade da Mari Trigo

Também batemos muito papo sobre sapatos, é claro, sobre moda e comportamento, conhecemos as tendências que o pessoal da Cravo & Canela pesquisou e escolheu para criar a coleção do ano que vem, analisamos as linhas da coleção, fizemos votação dos melhores modelitos (foi o momento mais tenso) e… putz, não posso contar o resto, mas eu garanto pra vocês que é algo MUITO LEGAL!

Fiquei encantada com todo mundo que nos recebeu na fábrica. Pessoas queridas, simpáticas, que estavam super interessadas no que nós tínhamos pra dizer, que nos deram um super voto de confiança, que pensaram em cada detalhe para fazer essa experiência da forma mais incrível pra gente. Teve presentinho no hotel (um bolinho lindo e uma agenda com um recadinho personalizado pra cada uma de nós), teve café da manhã e lanchinho na fábrica, teve um almoço que mesmo abaixo de chuva foi MARA, teve um kit mistério da próxima etapa que é nosso segredão, teve janta na pizzaria que deu pra fofocar bastante e, claro, teve sapatinhos também! Muito obrigada por tudo!

Conhecer as gurias também foi muito legal. Por incrível que pareça, passamos apenas um dia e meio juntas, mas pareceu uma semana! Foi incrível! Sei que ainda temos mais dois encontros (dessa vez em São Paulo!!), mas já estou com saudades! Muito obrigada pela companhia! Nos vemos dia 04 de dezembro para a segunda parte da nossa missão! =D

Quando Deus te dá o cano

4 de Novembro de 2009

Essa história de onipresença sempre me pareceu balela. Deus não pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo, e com certeza ele já te deu o cano. É tipo wireless, todo mundo que tem sabe que NÃO, não pega em qualquer cantinho da casa.

Penso nisso toda vez que vou a um banheiro público, faço xixi e só depois percebo que não tem papel. E então pergunto, onde está Deus nessas horas? Onde está a faxineira responsável pela reposição do papel? E, o mais importante, onde está meu cérebro e por que não chequei isso antes? São momentos caóticos, de verdadeira tensão e descrença em qualquer tipo de fé. É horrível.

Mesma coisa acontece quando você se perde. Antes do cano, uma falha de produção: por que não nascemos com GPS? Google Maps? É um absurdo ter que usar parte do meu cortex pré-frontal decorando nome de ruas enquanto poderia estar memorizando outras coisas. Definitivamente é por isso que eu esqueço aniversários (viu só, insira_aqui_seu_nome?). E onde está Deus nessas horas? Eu garanto que vendo Lost, por alguma ironia do destino que ele mesmo controla.

E não para por aí. E as várias vezes que me deram o troco errado e só fui me dar conta disso em casa? E às vezes que meu WAP é acionado sem que eu perceba? E aquele dia que comi pão de queijo com formigas achando que era orégano? Não vou nem mencionar as mensagens trocadas no MSN. Esse velhinho safado só pode estar de brincadeira ou realmente adora ver suas criaturas em situações constrangedoras e desagradáveis. “Dancem, marionetes, dancem”, diz ele nos intervalos do seu jogo preferido, World of Warcraft.