Indiferença Oriental

21 de Agosto de 2009

Não sei o que acontece, só sei que nada me interessa quando o tema é “oriental”. Não me levem a mal, não é que desgosto. Simplesmente não gosto. Parece chato, além de confuso. Não vou nem comentar sobre o Oriente Médio com aquela chatice de vários países com nomes parecidos e outros tantos ainda que a gente nem lembra que existe, a não ser quando compra album de figurinhas ou, sei lá, vê um Discovery Channel.

Mas o meu problema é mesmo com o Extremo Oriente. Nunca sei diferenciar lugares ou pessoas na Coréia, Japão, China. Pra mim é que nem Norte e Nordeste do Brasil, eu NUNCA sei onde ficam as cidades, e nem ao menos se são cidades ou estados. Ok, eu sei que tenho sérios problemas com Geografia. Lembro de planícies, planaltos e depressões apenas. Enfim, coisas orientais são estranhas.

Não tenho vontade de conhecer nenhum país, por exemplo. Ficar andando no meio de símbolos loucos. É como viver no mundo do Wingdings. É óbvio que japoneses (ou chineses, ou coreanos) são bons em memória. Eles tem que decorar mil símbolos pra poder ler alguma coisa. Ou certo que pra eles também é Wingdings e eles tem um generator-chat pra conversar, ou coisa do tipo.

Eu nem sei quem xingar quando esses malditos japoneses (ou coreanos, ou chineses) fazem algo melhor do que eu ou me ganham em algum jogo multiplayer. E, acreditem, isso acontece com bastante frequência. Bastardos… orientais!

Algumas coisas que eu gosto: árvores Sakura, Kung Fu Panda, Lucy Liu, miniaturas e bonecas irritantemente perfeitas. É, acho que é isso.

Sessão Pipoca com espirros

18 de Agosto de 2009

Tenho que dizer que essa foi uma rodada boa! Belo time de filmes pra esse post!

Feitiço do Tempo ★★★★½
(Groundhog Day)

A princípio eu sempre confundia esse filme com Feitiço de Áquila! hahaha E inclusive devia dizer sempre que já tinha visto, por causa dessa confusão. Por sorte meu namorado tinha visto uma vez uns pedaços e queria ver de novo, aí eu pude conhecer o filme. Na verdade ele é tipo o Meia Noite e Um só que muito melhor. Tá, eu adorava Meia Noite e Um. Acho que já vi umas mil vezes na Sessão da Tarde, mas o “dia da marmota” (título original de Feitiço do Tempo), além de ter Bill Murray e seu jeito ácido-emburrado-engraçado tem toda uma reflexão por trás. Para muitos, será apenas mais uma comédia muito divertida de Bill Murray que caberia numa Sessão da Tarde sobre um cara preso no tempo. Talvez outros nem entendam no fim como ele saiu desse ciclo, mas a historinha é muito singela e fofa. Adorei os momentos finais. Muito bom!

Coraline e o Mundo Secreto ★★★☆☆
(Coraline)

Animação super bem feita e diferente, com clima sombrio e uma história pra lá de bizarra. Na verdade eu achei bem inferior ao que eu tava imaginando e esperando. Achei que faltou aprofundar a história, ela ficou meio vazia e rasa. Não sei exatamente, mas sabe quando passa rápido e não deixa muito? Essa é a minha opinião. Vai ver porque eu adoro animações e geralmente eu gosto bem mais dos roteiros em si do que da qualidade da animação. Talvez a produção tenha sido tão difícil (li que foi o filme mais longo feito em stopmotion, além de também ter sido feito para 3D) que a condução da história em si ficou um pouco pra trás. De repente tem toda uma filosofia com metáforas infiltradas no filme que eu não reparei. hahaha Tem? Se alguém quiser defendê-lo nos comentários, a vontade! haha

Milk – A Voz da Igualdade ★★★★★
(Milk)

Não tenho palavras para Milk. Era um dos filmes que faltavam pra completar o Oscar desse ano (agora só falta Frost/Nixon) e eu achei disparado um dos melhores ao lado de O Leitor. São filmes completamente intensos, com atuações incríveis e histórias muito lindas. Benjamin Button é uma história diferente? Sim, mas o filme é longo e cansativo, apesar de bem feito. Já o vencedor Slumdog agora me parece algo completamente hollywoodiano e comercial. Um filme com muitos atributos pensados para ganhar o grande público, como aventura, romance, tudo tão previsível. Achei Milk e O Leitor meio injustiçados, pois mereciam mais prêmios. Harvey Milk pareceu uma pessoa maravilhosa através do filme, e se hoje temos o preconceito que temos, imaginem na década de 70! Ele foi muito corajoso e fez muito pelos gays lutando pelos direitos. É inacreditável que existam pessoas que achem que eles merecem direitos diferentes dos heteros. Destaques pras atuações de Emile Hirsch (que eu passei o filme INTEIRO sem reconhecer) e Diego Luna. Sean Penn dispensa comentários.

Um Sonho de Liberdade ★★★★☆
(The Shawshank Redemption)

Eu nunca tinha visto esse filme, apesar de ser fã dos contos do Stephen King. É o primeiro filme do diretor Frank Darabont, o mesmo de À Espera de um Milagre, que eu adoro e tem muita coisa parecida! Eu achei que não fosse o desfecho surpreendente, ele seria apenas um filme com boas atuações que conta a rotina de uma prisão na década de 40, tanto para os presos quanto pelo funcionamento da prisão. Claro, o personagem de Tim Robbins faz toda a diferença, pois ele dá uma humanizada na vida dos presos, trazendo mais direitos, cultura e até mesmo hobbies para os detentos. É bem bonitinha essa parte. Claro que eu continuo achando Forrest Gump mais merecedor dos Oscars que eles disputavam, mas não deixa de ser um ótimo filme. E o final então é bem legal! Muito bem pensado!

Os 12 Macacos ★★★★★
(Twelve Monkeys)

Oficialmente meu filme preferido de atualmente. Gente, eu leio sinopse de filme futurista e sempre esboço meu típico “pfff”. Não, eu não gosto! De jeito nenhum! Quando eu li que Os 12 Macacos se passava em 2035, o “pfff” foi longo e intenso. Mas eu vi, porque além de ter Brad Pitt e Bruce Willis (adorooo!) é dirigido pelo Terry Gilliam, e com Monty Phyton não se brinca. Assim ó.. a história é fantástica (carinhosamente apelidei de De Volta Para o Futuro para adultos), atuações muito boas, reviravoltas a todo e qualquer momento, conflitos de realidade x insanidade e violêmcia gratuita. Nem sei mais o que dizer! Melhor filme do post! Tô empolgada! Ahhhhh! *surtando e terminando o post*

Rafinha Bastos – A Arte do Insulto

30 de Novembro de 2008

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Conheci o Rafinha Bastos na época da Página do Rafinha, que continua no ar. Mais tarde, lembro de ter lido uma entrevista com ele no Judão e ter descoberto o stand up comedy. Depois foi a vez de acompanhar Mothern, os vídeos sensacionais do YouTube e, por fim, CQC!

Ontem eu completei a maratona Rafinha, pois eu e André fomos ver A Arte do Insulto, o stand up comedy solo dele, no Teatro da AMRIGS. Não seria novidade nenhuma eu contar que foi um sucesso, que a casa tava cheia, que todo mundo quase morreu se dobrando de rir (até mesmo quando ele diz “oi, meu nome é Rafinha Bastos”) e que o Rafinha é um fofo! ^^ Fiz questão de abrir o post com a mesma música que abre os shows dele: DMX – Party Up In Here.

O mais legal foi ouvir piadas exclusivas de coisas daqui, como o famoso mistério das placas de Conserta-se Gaitas, a duvidosa qualidade do IPA, o cabelo do Borghettinho, e a idade de Tânia Carvalho.

Apesar de eu ter sentido uma forte e incontrolável vontade de fazer xixi a partir do minuto 2 da apresentação do Rafinha e isso ser agravado cada vez que eu ria – e a situação piora porque não tem momento em que você NÃO ri – eu consegui resistir até o fim! Sim, amiguinhos! Eu sou uma campeã!

O mais estranho é que eu tava com medo de ir. Sério. Eu sou o tipo de pessoa que não consegue dar uma gargalhada mega espontânea no cinema, por exemplo. Eu meio que rio pra dentro, acho. Também fico constrangida quando estou num grupo de pessoas e elas se matam de rir por algo enquanto eu apenas sorrio por não achar tão engraçado. E aí elas não param de rir daquilo, e eu sou obrigada a ficar soltando uns “hã” de vez em quando. Uma pessoa amarga, talvez? Não. Acho que os outros é que são bobos demais. Brincadeira, gentem! hehe *preciso manter os leitores do blog* Mas então, quando menos esperava, lá tava eu soltando a cabeça pra trás e rindo muito porque o Rafinha falou do pênis dele. That’s the real magic of life.

Não pude tirar fotos porque surgiu uma sessão extra depois da nossa, e teríamos que esperar até o final, mas achei um vídeo com o comecinho da segunda apresentação dele AQUI pra vocês darem uma bizoiada em como foi.

Bruna In Dica

10 de Outubro de 2008
Eu nem comentei aqui, mas a Cih tinha feito um mini concurso no blog dela, e eu fui uma das ganhadoras! Eeeee! Era pra responder “O que é ser colorida para você?” e eu respondi “Ser colorida é conseguir enxergar todas as cores que a vida tem!” Aí a Cih me mandou uma cartinha com mimos, super fofa! Eu adorei!
A Cih também me indicou pra um meme de voz suuper legal! Mas vai ficar pra outro post porque eu tenho coisas atrasadas pra escrever, não falar! hahaha

Primeiro, uma dica de programa muito legal. Tá, eu não sou muito adepta da tecnologia, tirando meu computador. Só tenho um mp3 porque meu namorado me deu, e esse ano. Só troco de celular quando ele me dá problemas sérios, fato. Odeio comprar algo de última geração e daqui um mês ouvir que ele já era. Então essa coisa de televisão e filmes no computador não me cativou ainda. Maaaas, estava eu procurando meus programas pra colocar no site da Digerati Downloads, quando baixei o Cine Turbo. Gente, o programa é muito massa! Além de pegar alguns canais de tv aberta e fechada (tipo Cartoon, Band, ESPN e MTV, você tem a disposição um catálogo de filmes, novos e antigos, para ver sem precisar baixar. É, isso mesmo! Não tem que ficar esperando, no máximo em 10 minutos o filme já carregou pra começar direitinho. Como o site é relativamente novo, não tem muuuitas opções de filmes, mas a lista já conta com sucessos como Wall-E, Kung Fu Panda, Curtinho a vida adoidado, Em busca da terra do nunca, O pianista, e muitos outros! Vou dizer uma coisa, a qualidade da imagem não é lá grandes coisas.. mas eu achei muito divertido pra quando você está de bobeira ou quer ficar ouvindo algum canal enquanto trabalha ou navega na internet.

Outra coisa legal é a Coleção Cinemateca Veja! São 50 filmes em DVD que vão ser lançados pela revista com um livrinho de curiosidades e informações por apenas R$ 13,90 ou R$ 9,90+revista. E tem uns filmes muito bons na coleção, como Monty Phyton – O sentido da vida, Edward Mãos de Tesoura, Apocalypse Now, Fale com Ela, Pulp Fiction, Sociedade dos Poetas Mortos e outros filmaços!

E ainda falando de cinema, mas dessa vez uma dica que só vale só pros gaúchos! Começa hoje o Festival de Cinema de Porto Alegre 2008, com 98 filmes, 70 sessões e sete mostras. As exibições serão no Santander Cultural, na sala PF Gastal do Gasômetro e nas faculdades ESPM, PUC e ULBRA. O festival tem abertura hoje às 17h no LOUNGE CEN, 3º andar do Gasômetro, e vai até sexta-feira que vem, dia 17 de Outubro. Boa oportunidade pros cinéfilos de plantão ou pra quem adora curtas!

Beeeijos e bom dia das crianças! =)

Vote consciente

4 de Outubro de 2008
Tá, eu sei que esse é mais um daqueles posts que eu considero importantes e úteis no blog, mas que ninguém comenta ou dá bola porque o assunto é “chato” ou sério demais.

Porque diversos escândalos fizeram com que a imagem da política perante a população se tornasse uma piada. Porque a corrupção, a falta de reação das pessoas e os altos salários transformaram a política em uma oportunidade de carreira e garantia de vida fácil, e não mais de luta pelos ideais de uma cidade, estado ou país! Se conformar soluciona? Fico triste de ver quem generaliza candidatos por esses fatores, quem desacredita numa melhora aceitando todos serem iguais, quem cultiva implicâncias contra partidos e candidatos pelas imagens e campanhas e não se informa sobre as propostas de governo de cada um. E a bola de neve só continua.

O horário eleitoral não está apenas atrasando a nossa novela. Ele está nos dando chance de escolha, para parar e ouvir, já que por si só ninguém vai atrás. Reclamar depois é bem mais fácil, não é?

Hoje em dia, candidatos a vereadores é o que não falta. É gente famosa se candidatando, gente que mal sabe falar seu próprio nome no espaço eleitoral, personagens caricatos. Mas você sabe, realmente, para o que essas pessoas estão (ou deveriam estar) se candidatando para fazer? O vereador é aquele que cria leis municipais e é responsável por fiscalizar as ações da Prefeitura. Sabe quando surgem aquelas leis absurdas que te atingem e aí alguém cria uma petição ou abaixo-assinado para que ela não seja aprovada? Pois é, são os vereadores que votam e aprovam ou não os projetos de leis. Então, pense bem. Não vote no “conhecido”, no “tio do amigo” ou no cantor de pagode. Vote em quem você realmente acredita que vai fazer algo, seja para sua área profissional, seja pelo seu bairro, seja pelo bom senso de não aprovar leis sem noção.

Eu não vou ser hipócrita.. eu acho que também poderia acompanhar bem mais, e já houve um tempo em que política não me interessava. Por uma razão qualquer, ou por se interessar mais pela sociedade, sei lá, eu passei a querer saber mais desse assunto, porque só reclamar é pior. Não sei se todo o post serve como dica, porque temos fases, e por mais que se fale, às vezes a gente simplesmente não quer saber ou não escuta.

Página 1 de 3123