As unhas de março fechando o verão

8 de Abril de 2009

Bom, acho que é de extrema importância que vocês conheçam mais sobre esses dedinhos que vos escreve. E, para começar essa apresentação, nada melhor do que falar sobre as minhas unhas. Ok, mentira. Só quero me exibir com meus esmaltes! ^^

Ano passado eu contei aqui que minha meta era começar a investir em mim. Uma coisa meio vamos nos dedicar à futilidade enquanto não temos contas a pagar. Essa é a filosofia de vida do momento. Então eu fui pra praia e essa ideia ficou em hiatus, porque não dá pra fazer as unhas e no outro dia sujar elas fazendo o seu castelinho de areia. Mas a partir do momento que eu cheguei em Poa, ela ressuscitou! Vamos aos fatos!

06.03.2009 – Havana (Risqué)
A capital de Cuba é linda, mas o esmalte é mais. Tá, nem é, mas não poderia perder a piada. Com o objetivo de inovar, minha manicure sugeriu essa cor. É um vermelho bem aberto, para você não se perder na neve, no escuro ou em qualquer outro lugar que precise de um sinalizador. Vermelho agora é mato pela rua, mas eu nunca tinha usado um assim até porque unha vermelha pra mim era coisa de puta. Vivendo e acabando com os preconceitos, né?

17.03.2009 – Obsessão (Risqué)
Adoro roxo e acho que até agora foi o esmalte com mais personalidade. Já li em outros blogs pessoas criticando, dizendo que descasca muito rápido, que faz bolinhas, que não sei mais o que. Sinceramente? Fiquei 8 dias com ele numa boa e todo mundo elogiou a cor, que é super diferente.

25.03.2009 – Canoa (Impala)
Simplesmente é o vermelho do Corel. Aquela coisa que parece rosa, parece vermelho, mas não é nenhum dos dois. Achei diferente. Minha vó disse que antigamente era o tipo de “vermelho oriental”. Não sei direito o que isso quer dizer, mas achei uma boa definição.

04.04.2009 – Marinho (Colorama)
Marinho da coleção Verniz & Cor da Colorama. Ele não é cintilante nem metálico, mas no sol fica mega brilhoso. Escolhi essa cor porque uso praticamente só jeans, mas não foi a que mais gostei. Achei ele meio sóbrio demais, apesar de também ser uma cor diferente.

E eu não sou louca, mas eu tô fazendo uma tabela no Excel com as datas e as cores de esmalte que eu uso. Porque organização é tudo na vida hahaha

Me indiquem cores pra pintar semana que vem! :mrgreen:

Sessão Pipoca com Nescau

22 de Maro de 2009

Ninguém estranhou mais de 3 meses sem este blog falar de Cinema? Já era hora né?


Be Kind, Rewind ★★★★☆

Depois de muito tempo esperando, o filme do Michel Gondry veio com o título de Rebobine, Por Favor. São tantos comentários pra esse filme que não sei nem onde começar. Sim, a premissa da história é mega bizarra, mas o desenrolar é muito legal, o espírito de coletividade (ok, eu amo isso) é super envolvente, os remakes são hilários e os efeitos de baixíssimo orçamento também. Aliás, quem conhece o Gondry sabe que ele prefere ficar milhões de horas montando bloquinhos de Lego pra fazer um stopmotion do que simplesmente ir pra um programa de computador criar uns efeitos de vídeo, e o filme é basicamente isso. Com criatividade, muitas mãos na massa e pouco dinheiro, uma coisinha tosca pode ser diversão gratuita. Eu amei o final! ^^


Zack and Miri Make a Porno ★★★★☆

A.k.a Pagando Bem, Que Mal Tem?, uma tradução tão tosca que me recuso a chamar o filme assim. Zach and Miri me parecia mais uma daquelas comédias que os homens amam pelas piadas sujas e as gurias ficam com cara de nacho murcho, como geralmente são os filmes do Kevin Smith, na minha opinião. Mas eu gostei bastante, o Seth Rogen consegue ser fofo independente do que ele faça, a Elizabeth Banks tá linda e as roupinhas dela também e eu acho que vou ser uma das únicas gurias a elogiar esse filme.

Agora um mini especial Oscar atrasado sobre os filmes que todo mundo já leu a respeito:


O Curioso Caso de Benjamin Button ★★☆☆☆

Eu não precisei assistir esse filme pra dizer que Brad Pitt é um bom ator. Eu já havia constatado que a beleza era só a entrada do moçoilo quando vi Clube da Luta e Snatch – Porcos e Diamantes. O Brad (assim como meu queridinho DiCaprio) ainda vai ganhar um merecido Oscar. Mas sobre o filme… percebi bastante ironia e uns momentos até meio toscos, mas a história é, sim, bem bonita. O problema é que demora 3 horas, e isso me cansou bastante. Confesso que eu esperava mais do tal curioso caso. Algumas horas são bem monótonas e dispensáveis e o final fica uma coisa assim… meio aberta. Estranho. Fora que, gente, eu tenho uma implicância enorme com a Cate Blanchett! Ainda mais vivendo feliz do lado do muso mor hahaha


Slumdog Millionaire ★★★☆☆

Cidade de Deus na Índia. Sim, foram poucos os momentos em que eu não comparei os dois filmes. Achei bem legal o fato da história ir sendo contada pelas perguntas do programa, e todas elas remeterem à traumas (porque infelizmente eles marcam mais do que os momentos felizes). No fim, é uma história de amor, e por isso mesmo acho que o final deveria ser diferente. Também dispensaria a dancinha coletiva ao som de Jai Ho! nos créditos finais… fiquei um pouco com vergonha alheia. Mas a atriz que faz a Latika é linda, e o Jamal pequeno é muito fofinho!

Vocês não concordam que seria muito mais legal se ele errasse a pergunta valendo 20 milhões, mas em compensação encontrasse e ficasse com a guria que ele queria o filme todo? Seria muito melhor, e mais realista também!


O Leitor ★★★★½

Acho que dos três concorrentes ao Oscar que eu vi, esse foi o que eu mais gostei. Não dava nada por ele, porque ouvi muita gente falando que era um dos mais fracos e tal. Mas é uma história sobre o nazismo, sobre o amor, sobre o analfabetismo, sobre ingenuidade, ignorância… ih, tantas coisas! As cenas em que o menino lê pra ela são muito bonitas, e a meia hora final é matadora, muito emocionante. Sem contar que eu voltei pra casa super feliz de saber que a Kate Winslet tem estrias na cintura como eu! Uhu! :mrgreen:

Show das Cartas II

20 de Maro de 2009

Bom, como esperado, na primeira semana de março eu voltei pra Porto Alegre e, mais uma vez, foi aquele caos de cartas aqui em casa. Como estive fora durante muito tempo, vocês podem imaginar. Cartas até o final da rua. Então, como todos já sabem, temos aquela seleção por sorteio do meu assistente, o Sr. Bolinha. Esse mês ele sorteou a minha queridinha Ariane e a Sacks. Pois é gente, eu juro que tentei explicar pra ele que a Sacks não era um leitor ou fã meu, mas quem disse algum dia que bichos de pelúcia escutam estava drogadaço.

A Ariane me mandou vários presentinhos fofos. Um bloquinho, uma caneta e adesivos, que eu adoro. Me senti super querida com tudo isso! E ela ainda me disse uma coisa que amei: pra ela, meus posts poderiam ser traduzidos pela palavra bittersweet (a mistura do doce e do amargo). Muito legal!

Já a Sacks (e seu irresistível frete grátis) me mandou o rímel Telescopic da L’Oreal que eu já tinha lido em meio mundo de Flicks. O resultado, como falam, é muito bom.

O aplicador de silicone funcionou comigo e não empelota. Meus cílios já são grandes, ou seja, com o Telescopic então eu viro praticamente um traveco – Ronaldo pegael.

E fiquem ligados, o próximo sorteado pode ser VOCÊ! *aponta pra tela e faz cara de maníaco feliz*

Pã pã pã pãrã… essa é a vinheta do meu programa, o Bruby Show, ok?

Dá-lhe Hipoglós

24 de Fevereiro de 2009

E na bundinha, não vai nada? Esse deveria ser o verdadeiro slogan de Hipoglós, fikdik.

Mas enfim… não pensem que é sobre assaduras de bebê ou situações da vida em que nos fodemos que vou fazer esse post. É algo bem mais simples: lábios rachados. Como é uma época que muita gente vem da praia e do sol, é comum ficar com os lábios ressecados. Mas também tem aqueles que mesmo sem esses atrativos de verão sofrem desse problema. É o meu caso! Essa é uma história real. Então eu decidi dar um basta nisso tudo. Já tenho muitos problemas, quero pelo menos poder sofrer com lábios macios e lisinhos!

Daí eu varri o Google rapidamente e pensei em comprar Hipoglós pra ver qualéquiéra. A verdade é que Hipoglós fede. Nossa, e como fede. Não é a toa que é um troço pra ser usado na bunda. Me desculpem a sinceridade, mas parece cheiro de peixe fresco. Entretanto, funcionou. Quer testar?

Vamos ao passo-a-passo deste incrível tratamento:

1º: Compre um tubinho de Hipoglós (eu comprei o pequeno da foto, de 45g)
2º: Prenda a respiração
3º: Passe uma camada nos lábios antes de ir dormir. Hipoglós é uma das coisas mais econômicas do mundo. Um pinguinho e você já pode passar no corpo todo quase. Sabe Xuxa e Monage? Pois é.
4º: Vomite (opcional)
5º: Durma toda melequecada e fedida
6º: Ao acordar, corra pro banheiro tirar essa porcaria
7º: Enxague com bastante água
8º: Hihi, enganei você. Água não adianta, Hipoglós é tipo impermeável. Tente colocar algum óleo ou creme tipo Monange e aí sim tirar com água.

O processo todo é bastante facilitado para quem está gripado, não tem nariz ou é o Michael Jackson, pois resume-se então a apenas três passos.

Também li que é bom pra pele, pra espinhas e pra mais um monte de coisa. A Glória Maria usa (na verdade ela deve dormir mergulhada numa banheira de Hipoglós) e parece que se não fosse isso, ela nem seria negra. Enfim, experimentem e venham reclamar/elogiar aqui nos comentários.

Viaje neste Carnaval com Jorge Ben Jor

16 de Fevereiro de 2009

Ouça A Tábua de Esmeralda. Sério, eu já falei aqui no blog o quanto eu gosto de Jorge Ben Jor e tal, mas tem algumas letras que fazem você sair do corpo e ir comprar uma coxinha de galinha enquanto pensa seriamente que nós não somos os primeiros seres terrestres, pois nós herdamos uma herança cósmica. Sabe?

O destaque do CD vai para… O Homem da Gravata Florida. Saca só:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Pra cantar junto:
Lá vem o homem da gravata florida
Meu deus do céu… que gravata mais linda
Que gravata sensacional
Olha os detalhes da gravata

Que combinação de cores
Que perfeição tropical
Olha que rosa lindo
Azul turquesa se desfolhando
Sob os singelos cravos

E as margaridas, margaridas
De amores com jasmim
Isso não é só uma gravata
Essa gravata é o relatório
De harmonia de coisas belas
É um jardim suspenso
Dependurado no pescoço
De um homem simpático e feliz
Feliz, feliz porque… com aquela gravata

Qualquer homem feio, qualquer homem feio
Vira príncipe, simpático, simpático, simpático
Porque… com aquela gravata
Ele é esperado e bem chegado
É adorado em qualquer lugar
Por onde ele passa nascem flores e amores
Com uma gravata florida singela
Como essa, linda de viver
Até eu, até eu, até eu, até eu, até eu,…

Diante disto, fica claro que:

a) Jorge estava sentado de pernas de índio no meio da grama olhando pro céu e concluiu que, além dos alquimistas estarem chegando, era preciso criar uma música completamente original. Algo que nunca ninguém havia pensando. Ele poderia falar sobre… sobre uma… uma gravata! Isso, gravata! Se existe algo que pode ser descrito eternamente, definitivamente é uma gravata!

b) Jorge cresceu com um grande trauma por ter visto a Cinderella no continuous play quando era pequeno, pois sua mãe não fazia nada além de pentear os unicórnios do quintal. Para extravazar e jogar tudo pro ar, ele pensa em criar uma versão masculina da história. Se existe algo que pode substituir o sapatinho de cristal e mudar a aparência de alguém, definitivamente é uma gravata!

c) Jorge quis simplesmente homenagear Paracelso, um grande alquimista que teve uma vida difícil por ser baixinho, gago, corcunda, e ter o pinto arrancado por um porco. Se existe algo que deixava Paracelso feliz e esperançoso, definitivamente era uma gravata!

d) Jorge testa sua poção mágica de alquimia que combina pela primeira vez Sonrisal Limão + Maconha + Toddynho enquanto tenta compôr uma nova música.

Acreditem, uma delas é verdadeira. E não é a última.

Gostaram da viagem? haha

Página 10 de 256789101112131415