Zaxy Fashion Film

21 de Novembro de 2011

Esse ano, a marca de calçados Grendene em parceria com a MM Conteúdo criou uma ação super bacana com blogueiras e meninas influentes na internet para promover a coleção de Verão 2012 da Zaxy.

Não conhece a Zaxy? É aquela marca que tem modelos bem parecidos com a Melissa, considerada sua “prima”, mas com preços mais acessíveis. Com apenas três anos de mercado, a Zaxy da Grendene é um sucesso entre as garotas. Sempre conectada nas tendências de moda, os lançamentos da linha são coloridos e confortáveis.

Foram selecionadas 40 meninas (de 4 capitais diferentes – São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Recife – sendo 10 meninas de cada capital) para fazer um ensaio fotográfico e um editorial em movimento, conhecido como Fashion Film, com os calçados da Zaxy! E adivinhem só? Uma das gurias de Porto Alegre sou eu!

Cada menina recebeu um sapato da Zaxy e tinha que montar um look para o dia da gravação, e cada cidade tinha o seu modelo de sapato. O de Porto Alegre foi uma sapatilha azul marinho flocada com um detalhe dourado na frente, um amor! Confiram o look que eu montei com ela:

Sapatilha Zaxy

Macacão xadrez

Detalhe macacão

Unhas

A ação aproveita também para mostramos nossas cidades como pano de fundo. E bota pano de fundo nisso! Cada uma das selecionadas tinha que escolher uma locação para filmar, e os cenários ficaram lindíssimos. Eu escolhi o Brique da Redenção, um lugar super tradicional de Porto Alegre nos domingos, e que representa super bem a cidade!

Como se não bastasse ganhar a chance de ser modelo por um dia, as blogueiras mais votadas de cada cidade vão ganhar um editorial na revista Gloss! GENTE, já pensou?? Demais né?

Vocês me ajudam a ser a gaúcha vencedora?

Esse é o MEU LINK. Cada pessoa pode votar apenas duas vezes: uma pelo Twitter, e outra pelo Facebook. Eu vou ficar muuuito feliz se ganhar o ensaio na Gloss!

E quem pensa que a ação para por aí? Ainda tem a vencedora nacional da segunda etapa, que vai levar um Kit Trend Hunter: uma câmera fotográfica semi profissional e um iPad. Um sonho! Bora votar galera! A votação começa hoje lá no site da ZAXY e vai até segunda-feira que vem!

Equipe super bacana que realizou a ação: Fê Jesus (MM Conteúdo), Mauren Motta (MM Conteúdo), Andy Marshall (fotógrafo) e Mateus Philippi (cinegrafista)

Barth Shoes – Summer Party

3 de Novembro de 2010

Quem me conhece sabe que não sou aquela blogueira que vai a mil eventos e tal, mas sou louca por sapatos e não resisti o convite da Barth Shoes para uma reuniãozinha sobre moda, coleção nova e tendências de verão. Até porque, agora estou muito envolvida com isso, logo vocês saberão o porquê! ;)

Eu e mais 11 blogueiras gaúchas de sites femininos participamos de um happy hour no Palermo Bar. Com direito a cupcakes de scarpin, Heineken liberada e o playlist da DJ Babi Mattivy, vimos a Ester e a Taidje, do Glamour de Garagem, comentarem as tendências para o verão 2011: rendas, saia longa, clogs, floppy hats, make bem suave, looks monocromáticos.

Cupcake!
Cupcake de salto alto! hihi

Deisi e eu
Deisi, minha companheira de avião e Fervo, e eu

Depois, tivemos uma atividade super bacana organizada pela Beta Abrantes: uma competição de looks! Formamos grupinhos e tínhamos que montar um look e escolher uma das integrantes do grupo pra desfilar com ele. Foi um festival de araras, acessórios e sapatos da Barth Shoes, suuuper legal! Meu grupo escolheu a Deisi como modelo e propusemos um look romântico mas com toques coloridos.

Barth Shoes

Look 1

Look 2

Look 3

Look 4

No final, o grupo vencedor ganhou pares de sapato (e não foi o meu mimimi) e as meninas do Glamour de Garagem “ajeitaram” os looks para que ficassem perfeitos e de acordo com as tendências que elas apresentaram. Aqui foi um momento meio embaraçoso do evento, pois a maioria das escolhas para os looks tinham sido feitas levando em conta o gosto pessoal de cada uma das meninas, o que combinava com o estilo de corpo e o que elas realmente usariam no dia-a-dia. Depois dos looks modificados, as meninas ficaram visivelmente sem jeito e o que mais diziam é “eu não usaria isso”, loucas para voltarem para as roupas que vieram. Ou seja, achei que as gurias vestiram as blogueiras com uma moda de catálogo, que nem todo mundo pode usar e se sentir confortável e podia ter rolado mais de ouvir o que a gente acha das roupas que estão em alta e que realmente vai comprar pra ter no armário.

O evento todo saiu no jornal Correio do Povo, aqui do RS, mas adivinhem? Meu blog foi o único que ficou de fora da matéria. Fiquei chateada, mas a Ju, da Barth Shoes, me falou que iam colocar uma errata. Como não assino o jornal, não pude conferir, mas mesmo assim… mancada, né gente?

Jornal Correio do Povo

O que você faz quando ninguém te vê fazendo?

12 de Outubro de 2009

amelie

Todo mundo tem estranhos ou pequenos prazeres que são capazes de mudar qualquer dia emburrado, até mesmo os de TPM. Prazeres daqueles de Amélie Poulain, que talvez só você sinta graça. E, tal qual a Amélie, quando eu era pequena amava enfiar a mão dentro de um saco de feijão ou lentilha no armazém da esquina, enquanto minha mãe tava lá do outro lado do corredor. Pena que hoje em dia nem armazém existe mais, quanto mais o saco de feijão! Mas com o tempo eu fui descobrindo outras coisinhas que são bem bobas, mas divertem muito. Eu adoro escrever meu nome no vidro embaçado do box no banho. Eu sei, eu sei que às vezes fica marcado e não sai nem com água, mas não consigo evitar. Minha letra parece mais bonita quando escrevo direto com meu dedo, e às vezes até letra de música sai lá. Também tenho um pequeno prazer de infância que é comer farinha láctea. Nem é do gosto que eu gosto, mas sim dela grudando no céu da boca e deixando tudo enfarofado. No outono, adoro pisar encima das folhas secas no chão. E, é claro, nada melhor do que chegar em casa e ligar o som bem alto naquela música breguíssima que faz você até desabilitar “o que eu estou ouvindo” do MSN só pra poder cantar e dançar sozinha no quarto.

______________________________
Gente, só pra avisar que esse meu post saiu na edição 1081 da Capricho (que está nas bancas agora, com a capa da Fresno!! Yay! Abaixo a página!



Eu, Aninha e Flávia e as meninas do leia+ (you go, Gil).

Prazer, Kong. King Kong.

2 de Junho de 2009

kingkong

Eu nunca fui uma pessoa de micos convencionais. Claro que já beijei o chão na rua, caí da cadeira na aula, já dei foras e tive que consertar na hora ou sair correndo. Mas isso não é algo freqüente no meu dia-a-dia, até porque nem lembro da última vez que aconteceram coisas assim. Em compensação, alguns king kongs permeiam minha vida. Situações tão constrangedoras que viram chacota pro resto da vida e eu preciso aprender a conviver com isso toda vez que minha família se reune. Uma história clássica que sempre ressurge nos almoços de domingo é o dia em que eu abracei um cara qualquer num supermercado achando que era meu pai. Ele estava de costas e eu não tenho culpa se meu pai tem características padrão de pai: meio gordinho, estatura média e careca. Se fosse o Homer, eu abraçava. Não bastou abraçar, eu ainda disse “Aiai, PAPI” e quando aquele homem olhou pra mim extremamente surpreso, talvez lembrando de alguma ex-namorada e prevendo a cena de uma mulher gritando loucamente que queria um exame de DNA e tudo que ele tem na conta do banco, eu percebi que meu pai verdadeiro tava do outro lado do corredor, já rindo muito de mim.

Outras histórias:

Outra que adoram lembrar é a vez em que eu ganhei um cachorro Husky de pelúcia no Natal e… chorei. Chorei muito. MUITO. Chorei repetindo 3057 vezes a frase “meu Husky!!!”, enquanto todos entravam em conflito se era felicidade ou uma mágoa profunda com um erro do Papai Noel. Eles filmaram e acham a maior graça assistir isso hoje, uns 15 anos depois, rindo muito da minha cara. Eu, particularmente, continuo achando lindo o fato de uma criança conhecer tão cedo o papel da emoção, enquanto limpo algumas lágrimas ao lembrar do meu querido Husky.

E, é claro, o mico mais recente eu contei aqui no blog, que foi o dia em que todos os salões de beleza de Porto Alegre pararam porque a idiota aqui marcou de fazer a unha em todos eles, achando que era uma alguma deusa indiana com mil braços ou sei lá o quê.

Eu só vou se for de DeLorean

20 de Abril de 2009

delorean

Voltar no tempo não é pra qualquer um. É preciso ser mágico, louco ou Marty McFly. Mas e se você pudesse voltar no passado? Eu não mudaria nada da minha história, me orgulho muito da minha infância e me diverti muito na adolescência. Mas eu faria questão de viajar no tempo, e minha primeira parada seria os anos 80. Eu nasci em 1986 e acompanhei muitos dos clássicos da década, mas imagino como seria viver tudo aquilo hoje, com 22 anos. Poder sair sabendo que ninguém iria te achar, pois celular ainda não fazia parte da nossa rotina. Chapinha? Progressiva? Que nada! Lava o cabelo e sai no vento, porque a moda é ter volume. Eu teria saído às ruas para comemorar quando foi decretado o fim da Ditadura e a volta dos exilados. Também comemoraria o decreto que todas as mulheres teriam cintura, porque passar o dia inteiro com uma calça de cintura alta apertada sem respirar direito tem que ter uma vantagem. Eu poderia ver o show da banda que marcou a minha vida, antes mesmo de eu nascer, a Legião Urbana. Eu poderia ter assistido Os Goonies no cinema, ao invés de ter conhecido Sloth pela minha tv de 14 polegadas. Eu dançaria lambada sem que isso fosse considerado brega. Eu veria Roque Santeiro, na falta de um computador e de uma tv a cabo. Mas eu só faria essa viagem se fosse de DeLorean, a máquina do tempo em forma de carro inventada pelo Dr. Brown. Só assim eu poderia ir e voltar numa boa, pra poder contar tudo isso no meu blog, enquanto ainda vestisse minhas polainas.

Página 1 de 212