Show das Cartas II

20 de Maro de 2009

Bom, como esperado, na primeira semana de março eu voltei pra Porto Alegre e, mais uma vez, foi aquele caos de cartas aqui em casa. Como estive fora durante muito tempo, vocês podem imaginar. Cartas até o final da rua. Então, como todos já sabem, temos aquela seleção por sorteio do meu assistente, o Sr. Bolinha. Esse mês ele sorteou a minha queridinha Ariane e a Sacks. Pois é gente, eu juro que tentei explicar pra ele que a Sacks não era um leitor ou fã meu, mas quem disse algum dia que bichos de pelúcia escutam estava drogadaço.

A Ariane me mandou vários presentinhos fofos. Um bloquinho, uma caneta e adesivos, que eu adoro. Me senti super querida com tudo isso! E ela ainda me disse uma coisa que amei: pra ela, meus posts poderiam ser traduzidos pela palavra bittersweet (a mistura do doce e do amargo). Muito legal!

Já a Sacks (e seu irresistível frete grátis) me mandou o rímel Telescopic da L’Oreal que eu já tinha lido em meio mundo de Flicks. O resultado, como falam, é muito bom.

O aplicador de silicone funcionou comigo e não empelota. Meus cílios já são grandes, ou seja, com o Telescopic então eu viro praticamente um traveco – Ronaldo pegael.

E fiquem ligados, o próximo sorteado pode ser VOCÊ! *aponta pra tela e faz cara de maníaco feliz*

Pã pã pã pãrã… essa é a vinheta do meu programa, o Bruby Show, ok?

Rafinha Bastos – A Arte do Insulto

30 de Novembro de 2008

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Conheci o Rafinha Bastos na época da Página do Rafinha, que continua no ar. Mais tarde, lembro de ter lido uma entrevista com ele no Judão e ter descoberto o stand up comedy. Depois foi a vez de acompanhar Mothern, os vídeos sensacionais do YouTube e, por fim, CQC!

Ontem eu completei a maratona Rafinha, pois eu e André fomos ver A Arte do Insulto, o stand up comedy solo dele, no Teatro da AMRIGS. Não seria novidade nenhuma eu contar que foi um sucesso, que a casa tava cheia, que todo mundo quase morreu se dobrando de rir (até mesmo quando ele diz “oi, meu nome é Rafinha Bastos”) e que o Rafinha é um fofo! ^^ Fiz questão de abrir o post com a mesma música que abre os shows dele: DMX – Party Up In Here.

O mais legal foi ouvir piadas exclusivas de coisas daqui, como o famoso mistério das placas de Conserta-se Gaitas, a duvidosa qualidade do IPA, o cabelo do Borghettinho, e a idade de Tânia Carvalho.

Apesar de eu ter sentido uma forte e incontrolável vontade de fazer xixi a partir do minuto 2 da apresentação do Rafinha e isso ser agravado cada vez que eu ria – e a situação piora porque não tem momento em que você NÃO ri – eu consegui resistir até o fim! Sim, amiguinhos! Eu sou uma campeã!

O mais estranho é que eu tava com medo de ir. Sério. Eu sou o tipo de pessoa que não consegue dar uma gargalhada mega espontânea no cinema, por exemplo. Eu meio que rio pra dentro, acho. Também fico constrangida quando estou num grupo de pessoas e elas se matam de rir por algo enquanto eu apenas sorrio por não achar tão engraçado. E aí elas não param de rir daquilo, e eu sou obrigada a ficar soltando uns “hã” de vez em quando. Uma pessoa amarga, talvez? Não. Acho que os outros é que são bobos demais. Brincadeira, gentem! hehe *preciso manter os leitores do blog* Mas então, quando menos esperava, lá tava eu soltando a cabeça pra trás e rindo muito porque o Rafinha falou do pênis dele. That’s the real magic of life.

Não pude tirar fotos porque surgiu uma sessão extra depois da nossa, e teríamos que esperar até o final, mas achei um vídeo com o comecinho da segunda apresentação dele AQUI pra vocês darem uma bizoiada em como foi.