Top 8 versões muito boas de músicas ruins

18 de Setembro de 2014

Música tem muito do momento, né? Tem as para dançar, as para sentir, as para cantar – quase gritando – em roda com a galera, para ouvir enquanto cozinha ou faz faxina, para motivar na hora da corrida, etc. Mesmo assim, a gente sabe que existem músicas muito boas (arranjo e composição) e outras, bem… nem tanto. Para fazerem tanto sucesso, é claro que algo elas tem, pois grudam como um Trident no aparelho fixo, mas a gente SABE que não são graaaandes músicas, né? Daí eu resolvi fazer um Top Top de músicas ruins que foram transformadas em versões bem agradáveis de se ouvir. Confere aí:

8. Jayesslee – Gangnam Style (original: PSY)
Janice e Sonia são um sucesso no YouTube com alto teor de meiguice e fofura em uma só dupla. Mas quem diria que elas conseguiriam fazer uma versão fofa para Gangnam Style?

heart

7. The Baseballs – Hot ‘n’ Cold (original: Katy Perry)
A versão de The Baseballs faz a gente se sentir o Marty McFly juntando os pais em 1955 numa festinha de high school. Tem até cover deles pro nosso chicletinho do Teló, Ai Se Eu Te Pego. E tem também cover de músicas não tão ruins, como o incrível feito de fazer Chasing Cars não ser uma música mela cueca.

heart

6. Coeur De Pirate – Umbrella (original: Rihanna feat. Jay Z)
Confesso: eu gosto dessa música. Mas não é o tipo de música que eu curto ouvir em casa, logo de manhã ou enquanto trabalho, por exemplo. Já a fofa da Béatrice Martin transformou o hit dançante da Riri em um conforto pros nossos corações em uma tarde chuvosa. Pega um chá de erva-cidreira, abre o Pinterest na categoria de decoração, faz coraçãozinho com a mão e enjoy!

heart

5. Ben l’Oncle Soul – I Kissed a Girl (original: Katy Perry)
E parece que a Katy Perry é uma das rainhas de músicas ruins com bons covers hahaha O Ben é bem conhecido por ter feito uma versão de Seven Nation Army nesse estilo soul e tem também uma versão de Barbie Girl, que é inacreditável haha

heart

4. Travis – Hit Me Baby One More Time (original: Britney Spears)
Eu nunca gostei da Britney. Já Travis é uma banda que nem conheço direito mas, depois desse cover, já considero pacas. :)

heart

3. The Lost Fingers – Pump Up The Jam (original: Technotronic)
Essa banda é demais! Curto muito os arranjos que eles fazem e o conceito “lost in the 80s”, repaginando clássicos dos anos 80. Essa é minha preferida, mas também tem versão pra Voyage,Voyage, Billie Jean, Careless Whisper e outras.

heart

2. Noah Guthrie – Sexy and I Know It (original: LMFAO)
Aí você olha e pensa: “hm, um garoto com seu violão” e nem imagina que vai ouvir essa versão INCRÍVEL de Sexy and I Know It. Virei fã! E fiquei impressionada em como eu não presto atenção na letra de músicas de festa, aliás, nem sabia que músicas tipo essa tinham uma letra. Não é que elas existem? O Noah quase foi TOP 1, mas daí…

heart

1. Versão Bossa Nova de Show das Poderosas (original: Anitta)
Isso é um verdadeiro milagre. Ouviria fácil várias vezes seguidas esse cover, coisa que não acontece com a música original. O trio Tiago Galdino, Caio Alves e Gabriela Albuquerque resolveu brincar e olha no que deu. Mereceu o primeiro lugar no meu Top Top.

heart

E vocês, o que acharam? Deixem nos comentários outros bons covers para músicas nem tão boas assim! Além das transformações, é ótimo para conhecer novas bandas. :)

Top 4 Animais Falantes

11 de Maio de 2013

Um dia eu me cadastrei num site chamado Timehop, que pega nossos updates de 1 ano atrás em várias redes sociais (Twitter, Facebook, Flickr, Instagram, Foursquare) e manda como lembrete por e-mail. Não parece tão divertido, mas é muito legal se dar conta de que já faz um ano que você viajou, tirou aquelas fotos, viu aquele vídeo. E também é engraçado (e um pouquinho triste) ver que, por causa da velocidade e da amplitude da internet, muita coisa que compatilhamos acabemos esquecendo, e então quando vemos novamente achamos graça ou nos impressionamos como se fosse a primeira vez. Ou seja, eu acabo me entretendo com o que eu mesma postei ano passado, um auto ciclo de diversão virtual eterna, um Vale a Pena ver de Novo do meu histórico nas redes sociais.

Por isso, eu quis fazer um Top 4 com os vídeos mais divertidos de gatos e cachorros dublados que eu acredito que nunca vão perder a graça, passe o tempo que for. Afinal, sempre vai ter alguém que nunca viu algum deles, né?

Loca, o Pug

Adoro a Loca! Ela é um pug que tem um vida normal, o único detalhe é que ela não consegue correr. Isso por conta de uma disfunção cerebral que afetou a coordenação motora, mas ela nem imagina que exista algo errado nas suas corridas. Apesar de parecer super trágico, ela não corre risco de vida por isso e tem uma família humana e canina super feliz. Uma história de superação estilo Joseph Climber dos pugs haha

Cachorro Falante

Eu quase morro nesses olhinhos apreensivos do pastor alemão que acompanha de maneira tensa a conversa do seu dono. Aham! Aham! Veja a versão original (em inglês) aqui.

Henri, le chat noir

Henri é um gato em crise existencialista. Narrando em francês sua rotina de questionamentos e pensamentos filosóficos, ele não vê sentido em quase nada, se sente incompreendido e tem uma carga dramática quase shakespeariana. Uma interpretação felina digna de Oscar. Os vídeos seguem contando a rotina do Henri aqui e aqui.

Talking Cats

Uma dublagem perfeita de uma D.R de gatos. No fim, o negócio é agir como um gato pra ganhar carinho e talvez alguma recompensa. Do you wanna a treat, cat? Do you wanna a treat?

Quer uma certeza? Ano que vem, ou mais pro futuro, nós ainda iremos rir muito de tudo isso hehe

Top 5 Trilhas de Comerciais de Perfume

18 de Novembro de 2011

Já repararam que propagandas de perfume são sempre meio louconas e parecem um trailer de filme? Mas também, dá pra entender, né? Perfume é uma coisa super complicada de vender num comercial, já que a gente não consegue sentir através da televisão na sala o principal atrativo dele, que é o cheiro.

As marcas então são obrigadas a criarem todo um conceito, com cores, atitudes, personalidades e uma fotografia linda que faz você sonhar em ser a mocinha do comercial, desejar loucamente um vidrinho em formato de maçã ou então ficar sem entender porra nenhuma do que aconteceu naqueles 30 segundos de intervalo do programa que você tava assistindo. Uma coisa é certa: a coisa que mais marca esses comerciais são as trilhas sonoras super viciantes e divertidas. Sempre me chamam a atenção, mas nem sempre sei que música é ou quem canta tal música. Decidi então fazer um Top 5 Trilhas de Comerciais de Perfume! ADORO!

Top 5: Blue Seduction by Antonio Banderas
Música: Sway, de Dean Martin

Top 4: Lacoste Inspiration by Lacoste
Música: She’s a Lady, de Tom Jones

Top 3: Nina l’Elixir by Nina Ricci
Música: Sunday Girl, de Blondie

Top 2: CH by Carolina Herrera
Música: I’m a Terrible Person, de Rooney

Top 1: Madly Kenzo by Kenzo
Música: Carmensita, de Devendra Banhart

Top 5 Momentos da História do BBB

20 de Janeiro de 2011

Como quem me conhece já sabe, eu assisto – e gosto – de BBB. Vide meu post justificando minha entrada na tal “casa mais vigiada do Brasil”. Acompanhei todas as edições até agora (sendo a 3ª a que menos assisti), e depois de ver o Diogo ontem chorando e dizendo que não sabia que o nome de Ariadna era Ariel, não pude resistir em fazer um Top 5 cenas mais engraçadas de todos os BBB’s!

Top 5: Algemas da Paixão – Thyrso e Manoela (BBB2)

Com certeza um dos casais mais chatos de todo o BBB, Thyrso e Manoela eram um porre juntos. Primeiro porque ninguém acreditava de verdade que ela pudesse gostar dele, isso era visível. Segundo porque ele era muito grudento. Pra gente poder aguentar os dois, a edição do programa inventou o Algemas da Paixão, uma novelinha mexicana com direito a dublagem e tudo que fazia todo mundo morrer de rir. “Thyrso qué momô!!” A história deu tão certo que no BBB10 do ano passado refizeram a brincadeira com Anamara e Dourado.

Top 4: Tina e seus barracos (BBB2)

A pessoa que mais infernizou geral em algum Big Brother. Ela fez panelaço, ela atirou as roupas de todo mundo pelo chão, ela pintou a cara com a bandeira do Brasil, ela gritou por horas “ai, aiaiai, aiaiaiaiaiaiai em cima, embaixo, puxa e vai” e “xeque-mate, xeque-mate”. Ela é TINA, a maior barraqueira da história do Big Brother.

Top 3: Ariadna é Ariel (BBB11)

“Vem minha Pequena Sereia, Ariel Ariadna”. Com essa frase Bial anunciou a eliminação de Ariadna, a primeira transexual do BBB. O problema é que o coreógrafo Diogo, hiperativo e grande destaque dessa edição, se confundiu e ficou achando que esse era o nome da sister que nasceu brother. O mico não parou por aí. Diogo tinha que deixar a gafe ainda maior e postou no blog que gostava muito do Ariel! HAHAHAHA

Top 2: Airton x Alemão x A sunga branca (BBB7)

Em uma briga épica que poderia muito bem ter terminado em pancadaria, Alemão vai tirar satisfações com a casa inteira por terem tirado sua cueca numa brincadeira, e Airton se irrita profundamente e começa a discursar sobre as atitudes do futuro vencedor. O maior argumento? Alemão usa SUNGA BRANCA! Pô, SUNGA BRANCA!

Top 1: Ralf Bêbado (BBB9)

Melhor cena de BBB ever! O cara não fazia nada de mais na casa, era só mais um figurante, ainda fez parzinho com uma das mulheres mais sem graça, mas se revelou totalmente engraçado depois de beber pra valer numa festa. A parte mais engraçada começa aos 2:00 do vídeo, quando Ralf surta falando dos pôneis. “NINGUÉM ANDA DE PÔNEI, NINGUÉM!” hahahaha Ralf ídolo!

Fora esses momentos do Top 5, tem os famosos Iarnuou (que todo mundo lembra), a Maria Eugênia do BamBam e o tombo da Cida.

Top 5 Artistas que mudaram minha vida… NOT!

29 de Agosto de 2010

Mas pelo menos marcaram a história da música brasileira… NOT!

Esse é o Top 5 de bandas que na real, na real, nunca chegaram a fazer sucesso de fato. Os programas tentaram nos empurrar goela abaixo, mas sinceramente? Tiveram uns hits, pessoas compraram os CD’s pra alguns anos depois ter que esconder e não passar vergonha, mas ninguém nunca achou BOM de verdade. E, como era de se esperar, depois de algumas tentativas da mídia de alavancar a carreira deles rumo ao estrelato, acabaram é caindo no limbo. Mas, assim como as ombreiras, sempre tem alguém que lembra e pensa “como isso um dia já foi tão popular?”. Percebam que todos eles tentaram trazer um pouquinho do que dava certo nos Estados Unidos pra cá.

Fat Family

Com seus 724 integrantes, o Fat Family chamou a atenção por ressaltar a auto estima dos gordinhos com o seu jeitinho sexy, sexy, sexy (versão Herbert Richers de Shy Guy da Diana King). Como se não bastassem serem todos iguais, eles aindam usavam uns acessórios de Jetsons. Como todo bom gordinho, a banda tinha carisma e vende 1,8 milhão de cópias em 1998.

Por onde anda?
Como sempre tiveram estilo gospel, hoje o Fat Family se apresenta com apenas 40 integrantes em igrejas e convenções evangélicas.

Pepê & Neném

As gêmeas poderiam ter seguido facilmente pelo caminho de se tornarem as Ronaldinhas (do Gaúcho, é claro), mas Pepê & Neném tinham uma história triste que conseguiu impressionar muita gente e sairam das ruas onde cantavam um inglês fajuto para morar nos palcos da Xuxa. As coitadas ainda levaram um belo golpe do empresário, que não mostrou ser tão bonzinho quanto a Rainha dos Baixinhos. Por incrível que pareça, elas lançaram 4 CD´s e venderam mais de 1 milhão de cópias em 1999. O hit da época era uuuuuuh baby baby, naaaadaaaaa…, regravação também Herbert Richers de Wild World do Mr. Big.

Por onde anda?
Hoje elas tentam dar a volta por cima pegando carona no cabelo da Rihanna.

Twister

Na onda de boy bands em 2000, o Twister se lançou com uma fórmula bastante conhecida: garotos bonitos, músicas românticas e coreografias dançantes. O hit era 40 Graus… de febre! De repente uma referência ao delírio deles fazerem sucesso por aqui, ou simplesmente chamando as fãs de insanas. O Twister ainda vendeu 250 mil cópias e viajaram pra Los Angeles pra gravar um novo CD em espanhol, onde garanto que tinha 40 Graus versão remix, versão em espanhol, versão a capela, versão…

Por onde anda?
Em 2002 a gravadora do grupo, Abril Music fechou e o projeto para lançamento do novo CD não aconteceu. Outro agravante foi a prisão de Sander (o vocalista e guitarrista) por posse de drogas e assim a banda acabou com 2 anos de vida.

SNZ

Sarah Sheeva, Nãna Shara e Zabelê. Baby Consuelo e Pepeu Gomes não quiseram dar nomes normais pras filhas serem lembradas facilmente. Claramente inspiradas em TLC e no estilo Mel C de ser, o trio apareceu mesmo com a música Retrato Imaginário, que, pasmem, não é versão de nada! Mas foi escrita pela Deborah Blando, que nem brasileira é e nós já vamos ver aqui embaixo.

Por onde anda?
Em 2002, Sarah Sheeva anunciou que estaria fora do grupo para seguir a carreira evangélica e tem até um blog evangélico. Medinho de quem se converte do nada. As outras duas irmãs seguem com o grupo.

Deborah Blando

Até hoje não entendi se Deborah Blando queria ser Madonna ou Cindy Lauper (será esse o transtorno bipolar que a loira sofre?), mas dava pra ver que ela queria era ser megastar. A italiana tinha muitos contatos com produtores grandões e famosos e conseguiu ter uma música de sucesso em cada novela da Globo, mas nem todo mundo lembra porque foi difícil reconhecê-la sem o terceiro olho colado na testa depois do hit Unicamente.

Por onde anda?
Depois de um tempo nos Estados Unidos tentando buscar a paz interior com o Budismo, esse ano Deborah se internou em uma clínica de reabilitação em Florianópolis pra tratar o transtorno bipolar e a depressão.

E vocês, lembram de todos? Quem mais colocariam na lista?

Página 1 de 212