Eca!

31 de Maio de 2008

O Nando criou uma corrente blogueira aí pro pessoal discutir sobre o tabaco no Dia 31 de maio – Dia Mundial sem Tabaco. O dia foi criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) com o intuito de sensibilizar o maior número possível de pessoas sobre os males causados pelo consumo do tabaco e seus derivados.

Eu odeio cigarro e sei que não importa o que eu falar aqui, ninguém vai parar de fumar “porque a Bruberries pediu”. Sinceridade? Tô cagando pra saúde de quem fuma, cada um faz o que quiser da vida e muitos já são bem grandinhos pra decidir coisas. Mas assim, vamos aos fatos:

- é um saco voltar pra casa depois de uma festa/show com o cabelo fedendo à cigarro;
- detesto pessoas que dirigem fumando, e PIOR ainda, largam o cigarro pela janela em qualquer lugar;
- o preço do cigarro é um absurdo, já pensou em tudo que dá pra comprar economizando o dinheiro do cigarro de um mês? Ou melhor, você fumante, quer saber em quanto tempo você queimará seu primeiro milhão? *ignore essa se você for burguês ou só fumar cigarros roubados*
- foi-se o tempo que cigarro era glamour, hoje em dia é coisa de chinelão mesmo;
- eu já tive amigos e roupas vítimas de uma apagada de cigarro, e posso dizer que não é nada legal.

Então, cada um faz o que quiser, mas eu e muitas outras pessoas somos prejudicadas com o vício dos outros.

No mais, tá bem frio por aqui e finalmente vou poder usar os casacos que eu comprei! Tão lindos e quentinhos e peludinhos! *___* Eu adoro frio! Tempo de usar pantufas, de fazer foundue, de ver fumacinha sair pela boca, de usar cachecóis (tenho milhares por culpa de uma vó prendada e com bom gosto hehe), tomar chocolate quente, ver filme embaixo de vários edredons, usar luvinhas! E o frio aproxima as pessoas! ^^ Beeijos! ;)

Sessão Pipoca Com Manteiga

28 de Maio de 2008

Alguns filmes atrasados que eu ainda não comentei!

Identidade

Como disse meu namorado, Identidade é um filme que eu iria gostar. Suspense, vários personagens, reviravoltas, vidas interligadas, etc. Mas eu não gostei muito do desfecho não! Achei original, mas meio que me decepcionou.. enfim, um filme legal até, mas mais pra quem gosta de psicologia. Uma coisa que me surpreendeu foi ver na internet que a maioria dos comentários são de pessoas que não entenderam o filme. Como assim gente? É explicado o que aconteceu no fim e é só colocar o cérebro pra funcionar um pouquinho.

Jerry Maguire – A Grande Virada

Um filme onde Tom Cruise ainda era uma pessoa normal – embora em várias cenas do Jerry você poderia prever um Tom pulando no sofá da Oprah anos depois. O gurizinho Chicken Little é mega fofo, não gostei do personagem da Reneé Zellweger, você fica gostando e odiando o Cuba Gooding Jr., mas é um bom passatempo. A grande virada é legal, apesar de ser aquela coisa quase impossível na vida real.

O Pianista

É o seguinte, eu só vi um filme do Polanski e eu sou completamente apaixonada por ele. Tipo que eu casaria com ele hoje, mesmo ele tendo 75 anos. Então eu sou muito suspeita pra falar em geral do filme. Eu gostei mais da primeira metade, achei que da metade pro fim foi uma coisa meio Náufrago, sabe? Mas isso é uma consequência da história, tinha que ser mostrado desse jeito e acho que as pessoas têm que sentir um misto de monotonia com decadência e agonia. E, bem, Polanski sabe bem o que é isso em plena Segunda Guerra. Quero que morram aqueles que meteram pau na atuação do Adrien Brody, ele é perfeito pro papel. O filme é lindo, e por mais que eu tenha visto vários filmes sobre o holocausto, eu sempre me impressiono com a ignorância disso tudo.

Houve uma vez dois verões

Vi num madrugadão da Globo. Não sei porquê a Globo desova filmes bons em horários que provavelmente só eu estarei acordada. Deve ter sido um dos primeiros filmes do Jorge Furtado daquele estilo fala-fala-mil-referências-reviravoltas que eu adoooro. O filme se passa em Tramandaí (minha praioca, lembram?), o personagem do Pedro Furtado (o Fred de Mulheres Apaixonadas) faz um papel engraçado e tem muitas referências legais no filme, tipo a capa de um vinil do Nei Lisboa pendurado na parede. Só não curti muito o final do filme, achei meio surreal demais, e sempre fiquei me perguntando onde estavam os pais daqueles guris haha

Repassados os filmes, ontem eu completei 3 anos e meio de namoro! YAY! Comprei dois livros que eu queria (fica pra serem comentados quando eu começar a ler um dos dois), vi os 5 filhotinhos da cadela super fofa do meu vizinho (awwnn owwnn nhaaaa e onomatopéias mil de fofura), comecei a ver cursinho, médias da faculdade federal e amigos pra me ajudarem com meus estudos-depois-de-5-anos-sem-saber-o-que-é-Física. Sim, porque se eu for fazer outra faculdade, que seja a federal, por amor ao meu pai! haha

Uma alegria pra quem é fã dos hermanos: Camelo vai lançar CD solo e fazer turnê. Considero alegria porque acho que ainda existe chance deles voltarem com a banda, mas ninguém pode ficar parado esperando por isso, né? Então surgem os projetos individuais de cada um.. fora que é o trabalho deles, o dinheiro é preciso. Então pra quem estava com saudades das composições camelísticas e quiser ouvir duas musiquetas novas é só dar uma passada em http://myspace.com/marcelocamelo. Eu simplesmente viciei em Doce Solidão.

Beeeijos! ;)

Coisas que você só aprende depois que a cagada tá feita

25 de Maio de 2008
Obrigada a todos que comentaram, mas realmente acho difícil eu me animar com comentários. São vários contextos e situações que eu poderia continuar discutindo o assunto por mais vários posts e posts. É como ir em apenas uma consulta do psicológo: não dá tempo de falar tudo e você acaba parando em assuntos diversos pra continuar falando sobre um.
Pelo menos pensei em várias coisas que a gente só aprende depois que errou (e acho que escolhi a melhor ilustração do post), pra ver se eu começava a banalizar os erros que cometi hahaha Vai vendo…

Coisas que você só aprende depois que a cagada tá feita



- sim, dedo no ventilador dói;
- colocar uma guria e dois bêbados num taxi de madrugada não pode dar certo;
- aquele produto revolucionário do Shoptime vai começar a parecer a coisa mais inútil do mundo assim que for empacotado e endereçado pra sua casa;
- não, você não pode dar uma de malandrão e engatar a primeira marcha com o carro desligado;
- bloquear alguém no MSN, mas não bloquear os amigos desse alguém dá merda;
- se mandar msg/e-mail/sms pra alguém por engano, tente disfarçar a burrice com sarcasmo;
- em alguns casos, pular encima de bolas de plástico gigantes de crianças depois de uma certa idade resulta em explosões e crianças chorando;
- sempre, sempre tente lembrar das pessoas que te deram algum presente ruim, ou periga você repassar o presente pra mesma pessoa (e nesse caso pode ser aplicada a frase “gostei tanto que comprei um igual pra você”);
- por via das dúvidas, nunca parabenize uma mulher por estar grávida;
- cookies crescem muito no forno, então a menos que você queira uma pizza de cookies, deixe as massas mais espaçadas na fôrma;
- chuchu, repolho e brócolis numa mesma refeição pode criar uma bomba nuclear;
- nunca confie nos filmes do Intercine da Globo;
- você vai se arrepender muito de ter comprado certas coisas e, pior ainda, ter usado;
- às vezes deletar arquivos sem saber porquê eles existiam pode te deixar alguns dias sem computador;
- algumas mães não entendem que desenhar na parede é uma forma de arte;
- continuar andando ou fazendo o que você estiver fazendo e achar que a pessoa que estava do seu lado ainda está ali pode te presentear com uma conversa com estranhos ou novos amigos;
- mais ou menos no mesmo clima da de cima: verifique sempre quem você vai abraçar pelas costas.

Era isso, quase tudo da lista já aconteceu comigo, tirando a da mulher grávida. =D E algumas são histórias que por si só já renderiam um post, mas eu tenho que estar inspirada pra escrever e também criar um novo marcador: causos hahaha
Beeeijos! ;)

Da série "desabafos que ninguém gosta de ler mas eu vou escrever mesmo assim"

23 de Maio de 2008
Momento crise existencial mode on. Porque acho que talvez escrevendo e lendo os comentários sobre isso eu me sinta melhor (ou não).
A faculdade terminou faz um bom tempo, mas ainda me atormenta. O tempo todo que fiquei sem fazer nada, de Dezembro até agora, me fez pensar bastante. Pensar não no que eu sei fazer, ou no que eu gostaria de ser, e sim o que eu quero fazer na vida. Mais do que uma profissão que me sustente ou que eu seja boa, o que eu vou dar pras pessoas, o que eu vou deixar nesse mundo. Parece uma palestra chata motivacional ou o discurso de alguém que acabou de ter uma experiência de quase morte, mas é verdade. Eu já disse aqui que entrei na faculdade de Publicidade com muito pouco conhecimento sobre o curso, sendo muito espontânea, viajando horrores sem medo e achando que a vida era Criação. Mesmo depois de ter aprendido muito, aberto o leque de oportunidades etc e tal, eu continuei seguindo o rumo da Criação, afinal, querendo ou não, é a minha vocação. Só que com o comportamento diferente, mais racional, mais lógico, mais planejado. E agora eu penso: poderia passar a vida toda fazendo algo que eu faço bem, sei disso. Mas será que eu vou aguentar ter sempre o objetivo principal de fazer uma empresa lucrar? Fazer uma marca crescer? Sim, é só nisso que eu penso agora. E acho podre.. acho fútil. Eu quero fazer mais e ver o resultado do que eu faço nas pessoas. Quero ser realmente útil, poder fazer diferença na vida de alguém com o meu trabalho. O problema todo é que não sei o que posso fazer. Admiro muitas profissões, mas infelizmente não nasci pra elas. Em todos os testes vocacionais que eu faço, a resposta é uma só: comunicação.
Então estou pensando em fazer Jornalismo, mas no fundo me sinto fracassada de qualquer jeito. Por ter chegado à essa conclusão sobre um curso que eu passei quatro anos fazendo, por ter que começar tudo de novo e sem ter 100% certeza, por achar que eu tenho uma visão muito ingênua da vida e das pessoas e que no mundo real não funciona, por de certa forma decepcionar as pessoas que acreditam em mim como publicitária e não entendem o jeito que eu passei a pensar, por me sentir como tantas outras pessoas que não sabem mais o que querem na vida. Queria ser aquela que “quis ser médica desde pequena” ou então encarar como “ainda sou jovem, posso fazer o que eu quiser da vida”. Mas não consigo lidar com a sensação de que eu errei e tenho que reverter a situação. Eu sou uma decepção pra mim.
Fora isso, esse semana recebi uma vaga de estágio muito boa, perfeita pra mim, num canal de TV. O problema é que não posso pegar estágios, e tá aí outra coisa que eu me culpo muito, ter acabado a faculdade sem fazer um estágio que prestasse. O estágio é o momento que você tem pra errar, pra aprender, pra crescer, pra decidir melhor as coisas, pra conhecer pessoas, pra tirar dúvidas. E eu não consegui aproveitar enquanto podia ter feito isso. Também não tinha noção do quanto seria difícil sair da faculdade sem ter tido essas experiências, não sofri pressão pra fazer um estágio (até porque fui a primeira da família a fazer faculdade, ninguém tinha ou tem noção do que acontece antes, durante nem depois) e as coisas foram indo até eu me formar e agora estar na merda.
Enfim, agora eu sou apenas mais uma guria perdida no mundo, como se tivesse acabado de sair do colégio e não soubesse pra quê prestar o vestibular. E a única vantagem é que conheci pessoas legais, achei um ótimo namorado e posso ter direito à uma cela especial caso seja presa. É, acho que é isso.

As Piores Propagandas dos Últimos Anos

20 de Maio de 2008
É, não dá. Por mais que digam que a vida de criação é fácil, que propaganda é uma coisa divertida para criativos e blábláblá… existem propagandas tão ruins, mas tão ruins que ficam famosas pela sua podridão. E duvido que seja um antimarketing proposital, a verdade é que muita gente consegue errar a mão feio, se desesperam com prazos ou, sei lá, fumam orégano com Boa Noite.

Top 4 – Acnase, Honey.

Tipo que essa é uma propaganda pra gurizadinha esperta no estilo Malhação, que apronta todas com a turminha do mal, adora uma balada pra azarar várias gatinhas e faz fotinhos formando a estrela com os dedinhos, saca? Zuuuper descolada aê.

Top 3 – Motorella resistente.

É um desastre total. Os efeitos, a música, os modelos. Como li num comentário do vídeo no Youtube: essa é uma turminha da pesada.

Top 2 – Rala Bela.

Ela é tão bonita que dá medo de olhar? Não, não estou falando da propaganda, e sim da incrível mocinha que usa Rala Bela. Mas isso não é nada, já que nenhuma parte da música faz sentido. Com nada. E o nome da marca é horrível, acho que só perde pra Rola Moça (que bem poderia ser nome de marca pra tamanhos extra large, mas não é).


Top 1 – Pedrinho cagão.

Só me respondam uma coisa: por quê? Por quê uma atuação tão tosca? Por quê uma criança se importaria com o fato de ter um aparelho com extremo aroma no banheiro? Por quê o cliente aceitou colocar isso no ar? Por quê levaram além essa idéia de jerico? Por quê?

Tinham mais várias tosquinhas, mas não achei os vídeos no Youtube e aí não tem tanta graça de comentar… mas vale a citação e a lembrança: Temper Chease, Suco Kapo, Skol (odeio armar boteco..), Net, Ford Ka, Ig.

Beeeijos! ;)

Página 1 de 212