Nunca é tarde para…

23 de Setembro de 2009

Já tive fases em que cogitei jamais perdoar alguém por tal feito. Depois de um tempo, você percebe o quanto isso é mesquinho. Nenhum ser humano é perfeito, e isso significa que seus pais, assim como você, também erram. Erram como crianças, por mais que tenham mais idade e experiência de vida. O seu namorado e talvez todos os outros caras que existiram antes dele podem ter percebido seus erros exatamente por algo que fizeram à você, mas só se deram conta disso depois que já tinham te magoado. Aquela amiga invejosa era apenas insegura ou segura demais, e pode ser que com 30 anos ela já tenha amadurecido e achado que tudo que fez foi uma grande bobagem de adolescente mimada. Talvez existam muitas palavras de “sinto muito” e “desculpas” perdidas no espaço e no tempo, onde o ofendido não dá o braço a torcer para dizê-las e quem ofendeu pensa ter perdido aquela pessoa para sempre. Mas, acreditem, nunca é tarde para perdoar ou ser perdoado. Por um coraçãozinho sem mágoas e uma vida mais feliz.

______________________________________
Ps: SIM, , como sempre, existem as exceções que nós queremos que morram no inferno e que venham minhoca na próxima encarnação. Mas aí, com o amadurecimento, a gente aprende a IGNORAR, certo? =)

Em cartaz desde 1986

13 de Setembro de 2009

Minha Própria Vida ★★★★☆

A qualquer momento, você vai conhecer Bruna. Ela é uma menina normal, como eu e você. E também diferente, com suas manias e gostos muitas vezes controversos, como eu e você. O começo de tudo? Julho de 1986, numa cidade ao sul do Brasil. Desde pequena ela já estava fadada ao desconhecido mundo dos diferentes. Com 6 anos decidiu ser vegetariana, aos 10 queria ser escritora, aos 17 queria ainda ser virgem e com 23 anos decidiu que não decide mais nada, só se deixa levar pela vida que leva. Ela não sabe o que faz, ela não sabe pra onde vai, nem como vai, mas tudo que ela quer é fazer parte de muitas aventuras, que irão mudar a vida de várias pessoas, inclusive a sua. Uma comédia, um drama, com romance, suspense e até mesmo momentos de ficção. Uma história mágica e pós moderna que vai fazer você viajar no tempo, voltar a ser criança, reviver os melhores sentimentos de uma adolescência sonhadora, tudo isso sem parar de seguir adiante. Um filme produzido pelos meus pais, escrito pelo destino e dirigido e estrelado por mim: Minha Própria Vida.

Sessão Pipoca com feriado

8 de Setembro de 2009

Segurando as Pontas ★★½☆☆
(Pineapple Express)

Eu esqueci de falar desse filme na última vez. E por esse motivo, vocês já sabem que ele não é exatamente um filme muito memorável, né? hehe Aliás, nem preciso dizer isso, é só olhar o trailer. Uma comédia com aventura de dois drogados pelo mundo obscuro da mafia de produtores de maconha hahaha Super viajão, bem besteirol, mas gente! Seth Rogen! Ele não sabe fazer outro papel, ok? Vamos dar um desconto porque ele é engraçado! E pra minha surpresa, o parceiro de cena dele é o James Franco, que faz um dos namorados do Harvey Milk em (adivinhem) Milk! haha

Se Beber, Não Case ★★★★☆
(The Hangover)

Eu e o André estávamos esperando por esse. Muito legal o fato de não ter muitos atores conhecidos, pois você acaba se apegando totalmente às personalidades diferentes de cada um dos quatro amigos. O gordinho (Zach Galifianakis que faz o papel do nonsense Alan) rouba totalmente a cena. O filme é praticamente dele. Mas além disso, o que nós notamos é que existem poucos palavrões, o que torna o filme bastante familiar (apesar de ter bastante referência com piadas de sexo – hahahaha me lembrei de uma cena com o bebê – e ser pra maiores de 17 anos). As fotos finais são de chorar de rir. E uma curiosidade: o ator Ed Helms não tem mesmo aquele dente que fica faltando durante o filme todo. Por coincidência, ou por sugestão, ele tirou pra fazer o filme e deixou tudo muito mais engraçado!

Os Normais 2 ★★★★☆
(Os Normais 2 – A noite mais louca de todas)

Achei que não seria tão engraçado quanto o primeiro, pois pelo trailer só mostra baixaria. Sim, eu sou uma nobre camponesa que vai todos os dias ao bosque pegar lenha e acho meio apelativo piadas que só envolvem sexo e palavrão. Mas é óbvio que Os Normais não ia me decepcionar, e no meio de tudo existe uma história de amor entre um casal super normal. Quer dizer, 13 anos de noivado não é lá a coisa mais normal do mundo, né? hehe Mas o filme é super engraçado, cheio de participações especiais, músicas e ainda passa super rápido: só uma hora e vinte minutos. Ou seja, deixa muita saudade do seriado, pois você fica achando que vai voltar a ter a companhia daqueles dois toda a semana. =(

Força G ★★☆☆☆
(G-Force)

Com muito custo, vou dar 2 estrelinhas. Uma porque é uma animação bem feita, outra porque gosto de porquinhos da Índia. E acho que isso resume bem o filme haha Acho uma roubada misturar humanos com desenho (salvo Roger Rabbit, um dos meus filmes preferidos de infância), fica superficial e estranho. Os personagens não tem nenhum carisma, nenhum bordão… são totalmente indiferentes. A história é muito vazia e envolve planos tecnológicos, o que eu achei estranho pra um filme infantil. Será que crianças entendem transferências por pendrives? Ou será que eu tô muito velha e não sei mais do que as crianças entendem? Mais provável.. Mesmo assim, achei mais uma vez um filme que se prendeu ao fato de poder ser apresentado em 3D e não soube conduzir um roteiro muito interessante – assim como em Monstros x Alieníngenas.

O Iluminado ★★★★☆
(The Shining)

Mais um filme de adaptação de um conto do super Stephen King. Esperava que fosse mais dinâmico, sabe? Na verdade, O Iluminado parece aquele tipo de filme que todo mundo conhece, mas poucas pessoas realmente viram. Além disso, é aquele filme que não acontece nada demais na maioria do tempo, mas qualquer barulhinho faz você pular do sofá ou quase se mijar nas calças. O clima tenso, a trilha sonora agoniante, a sobrancelha do Jack Nicholson. Tudo colabora pra você achar que a qualquer momento pode ser a hora de começar a sequência de perseguição onde temos a clássica cena do Jack quebrando uma porta com um machado e dizendo “Heeere’s Johnny!”. Ou seja, suspense psicológico, acima de tudo. Gostei da direção do Kubrick. Na verdade, eu só tinha visto outros dois filmes dele: Lolita e Laranja Mecânica, e confesso que gosto mais dos filmes pelas histórias do que pela direção.

O Bebê de Rosemary ★★★★☆
(Rosemary’s Baby)

Não sei se eu já contei aqui, mas eu fiz uma promessa (uma coisa assim, de mim pra mim mesma) que eu veria todos os filmes do Polanski. Porque afinal de contas, se o Woody Allen fosse meu melhor amigo, o Polanski seria meu amante. Simples assim. Então fazia tempos que eu queria ver o tão falado bebê de Rosemary, mas meu namorado fica com medo de noite se vê filme de terror e sempre me impedia. =P Aproveitei meu feriado solitário e vi! Achei muito bom! Muito bom mesmo! Adoro um suspense, acho que é um dos gêneros de filmes que eu mais assisti até hoje. Em compensação, achei a história do filho do Diabo muito bizarra. Tipo, todo mundo sabe o quão loucos são esses caras de seitas malucas, mas isso do Diabo é um momento chapação do filme. Não tem porquê, a própria força da assembléia unida com o complô em torno da Rosemary já deixa o filme ótimo, pois passamos o tempo todo pensando como ela vai escapar daquela armadilha. Depois que ela começa a desvendar tudo e juntar as peças do quebra-cabeça então, aí que fica bom mesmo o filme. Ah, a Mia Farrow é linda! ^^