Discovery Kids ou Animal Planet?

13 de Junho de 2009

E então chegou o dia dos namorados. Depois de 4 anos de namoro, eu e André decidimos nos rebelar e… comemorar! Tivemos presentinhos, fondue, jantar caseiro, algumas horas matando zombies no Wii e todo aquele mimimi de 12 de junho. Como juntou com o feriado, resolvemos fazer algo diferente e fomos no zoológico amar também os animais. Faz um tempinho já que andava enchendo o saco pra ir ver a famosa girafa, o animal mais lindo desse mundo dos animais que não andam nas ruas. A minha mãe ficava indignada alegando que eu já tinha ido no zoológico, mas vamos combinar que levar qualquer criança de 2 anos pra ver uma coisa que deva ser memorável é gastar tempo e dinheiro. Ei! Não vamos lembrar do zoológico, não vamos aproveitar a Disney, não vamos lembrar do gosto do xuxu. Enfim, tivemos uma discussão sobre o ornintorrinco, que eu jurava ser da mesma família do hipopótamo, e o André achou que eu estava muito limitada ao meu clássico jogo do mico e ao Madagascar e decidiu que era hora de dar um basta nisso tudo. Abaixo, seguem algumas considerações sobre alguns antigos mitos pra mim – e talvez pra mais gente. Conto com o apoio de vocês!

- O macaco é mais assustador do que as cobras. Por quê? Porque ele parece MUITO alguém fantasiado. Ele é uma mini pessoa numa jaula. Pra ser mais exata, a cara dele parece a de um velhinho mendigo no centro. ME-DO.

- O elefante é bem menor do que eu pensava e não incomoda muita gente. Quer dizer, pelo menos de onde eu vi, ele parecia ter o mesmo tamanho do Eric Clapton quando fui no show dele no Olímpico. Então ou ele é pequeno, ou Eric Clapton é realmente bem mais gordo do que aparenta.

- Existem algumas coisas que eu imagino que sejam absurdamente enormes: tiranossauro rex, boing, transatlântico e girafas. E tenho que dizer que as girafas foram decepcionantes. Você não vai olhar pra cima e ver um pescoço pelos próximos 5 metros como eu pensava. Enfim, talvez ISSO tenha sido uma memória de quando eu tinha 2 anos.

- Os hipopótamos e os rinocerontes realmente existem fora do comercial da Parmalat. Mas são bem mais feios. Quer dizer, vamos ver como estão aquelas crianças hoje, hã?

No fim das contas, não tinha nenhum ornintorrinco. Então acho que ninguém pode discutir comigo sobre um animal que não viu – e ainda temos dúvidas se existe – certo? E eu continuo aqui achando que ele é gordo, cinza e… algo entre o hipopótamo e o rinoceronte, definitivamente. É, uhum, tenho quase certeza que é assim o verdadeiro ornintorrinco.