Espelho, espelho meu

7 de Dezembror de 2009

ctrl-c-v

Irmãos gêmeos. Taí uma coisa que eu acho super estranha e não gostaria de experimentar. Imagina ter um clone, um espelho vivo andando por aí, mas sem repetir os movimentos e gestos que você faz na frente dele. Eu nunca gostei nem de ir de duplinha em festa a fantasia, imagina viver essa realidade todo dia. É como sair do próprio corpo e sentir como seria observar um outro você vivendo a vida. E como seria essa outra pessoa que é a sua cara? O que ela faria com o cabelo? O que ela iria gostar e odiar no próprio corpo? Que estilo e quais roupas ela usaria? Qual seria o jeito que ela iria falar? E você, sendo exatamente igual a essa pessoa, faria o mesmo? Dividiria, além da forma física, a personalidade? Acho dificílimo pensar nisso. E acho pior ainda imaginar que são duas pessoas que nascem da mesma mãe, no mesmo dia, com a mesma família, com o mesmo rosto, porém morrem em situações diferentes. Você estaria preparado para ver seu clone deixar esse mundo? Sinistro, hein? Definitivamente, esse negócio de gêmeos me assusta mais que a noiva do Chuck.