Sessão Pipoca Doce

20 de November de 2008


★★★★★

Vicky Cristina Barcelona: Novo filme do mestre Woody Allen que eu fui ver ontem! Muito bom! A narração feito livro, a Penélope Cruz roubando a cena, o cenário de Barcelona, o clima artístico e a discussão de até que ponto temos a mente aberta, os personagens e até mesmo a falta de sal da Scarlett Johansson, que nem me irritou tanto. O mais legal da história é que fala sobre uma viagem à Barcelona que ao mesmo tempo que muda tudo na vida das duas personagens, acaba não mudando nada. Essa é a melhor definição que encontrei pro filme. Pequeno comentário-spoiler abaixo.

A cara das duas no final indo embora de Barcelona e a narração é ótimo. Concluir que Vicky realizou tudo que não tinha em mente e poderia ter uma vida nova, mas volta pra casa com a vida que planejou; e Cristina viveu uma relação diferente de todos os clichês que odiava bem do jeito que queria, mas volta pra casa sem nada daquilo e continua buscando algo que não sabe o que é. Sensacional.

Pão e Tulipas ★★★★★

Fazia muito tempo que eu queria assistir esse filme. Minha professora de Religião tinha comentado ele na aula quando eu tava no 3º ano do colégio, mas só agora fui pegar na locadora pra ver. É um romance italiano muito, muito fofo, que me lembrou Sob o Sol de Toscana. A história mostra uma mulher que resolve sair da rotina e enfiar o pé na jaca por alguns momentos, já que como mãe e dona de casa não tem muitas aventuras e não parece ter o reconhecimento do restante da família. O pano de fundo é Veneza e embora a reflexão do filme seja algo dramático, tem muitos momentos cômicos, protagonizados por um gordinho detetive e uma vizinha massagista. Vale destacar o personagem do Fernando, que é encantador! ^^

007 – Quantum of Solace ★★★★☆

Eu não sou uma grande fã de 007. Na verdade, só vi o Cassilo Royale, porque eu e o André ganhamos ingressos pra pré-estréia fechada que teve, e é bem legal! Aí eu fui ver 007 – Quantum of Solace, já que agora acompanho Daniel Craig pelo mundo de espiões fodões. O filme é muito bom, mas as cenas são muito cortadas e deixa ele mega rápido! Tipo… não sentem muito na frente, senão vocês vão ter a sensação de que estão numa montanha-russa circular. Algumas cenas tipo a luta nos andaimes e James Bond dentro do elevador + a música tema do 007 fazem você ficar assim: *06*

Rockanrolla ★★★☆☆

Filme do Guy Ritchie (não, ele não é apenas o ex-marido da Madonna) é obrigatório aqui em casa. Depois que fui apresentada à Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes e Snatch – Porcos e Diamantes, é lei ver todos os filmes dele. RockanRolla segue o estilo mil e um personagens, todos querendo sacanear uns aos outros, personagens principais bonitões, vilões difíceis de matar, 7 reviravoltas por segundo e comédia+ação, mas não achei tããão legal. Ok, é difícil superar os dois primeiros, essa que é a verdade. Mas as cenas atrapalhadas dos assaltos valem o filme todo, são muito engraçadas.

A Morte Pede Carona ★★★½☆

O André comprou esse da Coleção Cinemateca da Veja que eu comentei aqui e a gente viu nesse final de semana. Ah, eu adoro um suspense psicológico, gosto bem mais do que terror explícito. O filme, apesar de antigo e por isso ter algumas coisas tosquinhas, é bem bom! Super tenso, do tipo “vilão-que-não-morre-nunca” e bem freak. No começo tive algumas implicâncias com o “mocinho” por ele ser um adolescente, mas ele foi bem no papel. O estilo do filme me lembrou aquele Perseguição – A estrada da morte.

Beeijos! ;)

Hello World!

22 de August de 2008
Tive que colocar um lembrete na testa avisando que tenho um blog. Como estava na testa, óbvio que eu não via e só me dei conta de postar agora hahahaha

O que eu tenho feito? Freelances, faculdade e filmes. Vamos aos filmes:

Tootsie

Um
clássico, muito legal! Dustin Hoffmann tá perfeito de mulher! É tipo um precursor da Mrs Doubtfire hehehe Mas que ele está ótimo no papel é uma unanimidade né?! Não sei por que diabos esse filme não passa na Sessão da Tarde. Fora HSM, queremos filmes antigos e bons! Agora é só filme adolescente ou aqueles “baseados em fatos reais”. Que saco! Na minha época de Sessão da Tarde passava Um Tira da Pesada, Goonies, filmes legaaaais!

Zohan

Sim, eu fui no cinema Domingo ver Zohan! Na verdade eu nem sabia sobre o que era o filme hahaha Só sabia que tinha o Adam Sandler. Aí eu me surpreendi, porque o filme é muito divertido! É engraçado, pessoal no cinema rindo muuuito de algumas cenas.. me lembrou aqueles filmes antigos de comédia tipo Apertem os cintos! O piloto sumiu! onde as coisas eram exageradas ao extremo, ironizando várias situações e exatamente com o propósito de não ser levado a sério. Claro, algumas coisas do filme são forçadas demais e você acha idiota. Mas o contexto palestinos x judeus ficou legal e diferente, e o Rob Schneiner tá muuuito bom no papel de palestino! E olha que eu, pra falar do Rob Schneiner, sou malvada! Eu acho que ele faz muita merda (oi?), mas gostei dele nesse filme. É aquela coisa, não vou dar uma de intelectual e repudiar qualquer filme blockbuster ou de comédia. Isso não é nem ser intelectual, e sim um hipócrita! Os filmes têm diversos propósitos, nem todos são pra serem levados a sério e nem todas as vezes que dizemos que gostamos de um filme de bobagens significa que depreciamos o bom do cinema. Isso renderia um post inteiro… e pra quem não concorda, vou me redimir abaixo então:

O Homem-Elefante

Pronto, taí um filme super elogiado e do mega diretor David Lynch (que todas as pessoas cabeça adoram, mas muitas que eu conheço são sinceras o suficiente pra dizer que não entenderam alguns filmes). Eu, particularmente, nunca vi nenhum filme dele.. mas ameeei o Homem Elefante. Confesso que não notei muito da direção dele, o que mais se destacou foram as atuações e a história, que é mérito do próprio acaso, por se tratar de um fato real. O cara era totalmente distorcido de uma figura humana real e mesmo assim você acaba se apaixonando pelo carisma que ele tem. Educação, sensibilidade.. coisas que na época de 1860 as pessoas não conseguiam enxergar além de uma grotesta aparência, e nos dias de hoje ainda não conseguem. Talvez nunca consigam… É triste isso, mas a aceitação é difícil mesmo. O que não dá pra entender é como as pessoas se aproveitam e maltratam as outras por causa disso. No fim, eu, que achava que Edward Mãos de Tesoura era um filme de indignação múltipla, acabo achando que muito dos conceitos e valores do filme vieram do Homem Elefante. A figura diferente dos outros que é isolada, e que quando tenta sair desse quadro confirma que não é possível se adaptar à sociedade como ela é. Muito bonita a história do filme…

E falando em pessoas diferentes e casos extraordinários, existe um site com perfis dos Super-Heróis humanos, como se existisse uma versão real de pessoas diferentes da Marvel. É o The Human Marvels, onde você pode encontrar a mulher barbada, albinos negros, o homem fonte, a mulher com quatro pernas, o homem que enfrentava bolas de canhões com a barriga, e outras várias pessoas que você nem acredita que existiram! Não é Photoshop, é real! hahaha


Então era isso, me empolguei com os assuntos, eu prometo que volto domingo ou semana que vem pra falar sobre as Olimpíadas e outras coisas! Beeeijos!

Um Woody Allen em minha vida

3 de August de 2008

Eu esperei o momento de eu realmente ter um pouco de propriedade pra falar do Woody. É, o Woody. Agora somos praticamente íntimos, por minha parte, é claro, uma vez que percebi um reflexo da minha personalidade na dele.


Tudo começou quando o dono de uma locadora praticamente atirou o DVD de Scoop n
o colo do André, meu namorado. Eu, que sempre ouvi falarem que “os diálogos de Woody Allen são uma chatisse” e que “seus últimos filmes decaíram muito” já não era a pessoa mais animada pra assistir o filme, principalmente porque não, eu não gosto da Scarlett Johansson. É provável que seja aquela inveja feminina mesmo, já que ela é linda, sexy e ex-namorada do Josh Hartnett. Enfim, adorei Scoop! Achei engraçadíssimo, diferente, diálogos rápidos e até curti a Scarlett! Apesar de muita gente ter metido o pau no filme, foi meu primeiro Woody Allen e, sabendo que os críticos falavam em retrocesso, me estimulei a ver os outros filmes, já que o considerado fracasso tinha me agradado bastante.

No caminho da regressiva, encontrei O Sonho de Cassandra passando no Cinema. Meu primeiro Woody Allen drama! Tão, mas tão diferente de Scoop. Culpas, uma história tensa, cheia de reviravoltas, mas que ainda era Woody Allen. Parti então para o tão elogiado Annie Hall (ou “de-onde-surgiu-essa-tradução-? Noivo Neurótico, Noiva Nervosa). Estava confirmado: eu sou o Woody Allen. As manias, o fala-fala, as discussões infundadas e pessoais sobre o ser humano, o universo e além. As idéias que brotam do nada, o medo da morte, o medo de doenças, a inconstância, o pessimismo e ao mesmo tempo o amor por tudo. Segui com What’s New Pussy Cat, Manhattan, A Última Noite de Bóris Grushenko, Zelig, Dirigindo no Escuro e Match Point. Sei que ainda faltam muitos filmes, mas achei que neste estágio eu já poderia me dizer fã e comentar o estilo do diretor.

Também li um dos três livros que reunem crônicas do Woody Allen, da época de 70, chamado Cuca Fundida. Com o livro, cheguei à uma conclusão. Já li muitas pessoas dizendo que Woody se repete, e até esse um assunto bastante repetitivo (er..) em torno dos seus filmes mais novos. Porém, eu vejo isso como um motivo ainda maior para admirar esse cara baixinho e dos óculos com armação grossa. Eu acho uma coisa incrível que ele consiga elaborar histórias diferentes com os mesmos elementos. No livro, você pode notar que certas “palavras-chave” sempre aparecem em suas crônicas, como ceroulas por exemplo, mas as histórias fazem você viajar na maionese com tanta originalidade. Outra coisa que todos sabem é que Woody adora explorar manias e neuroses comuns à várias pessoas, e gosta de citar seus diretores e filósofos preferidos em suas obras.

Sei que nem todo mundo vai acabar pensando como eu, e vai continuar achando que “os diálogos de Woody Allen são uma chatisse” e que “seus últimos filmes decaíram muito”, mas é uma questão pessoal e ele mesmo diz que “é muito difícil ser Woody Allen”, imagine então gostar!

Tim Burton rules my world

24 de June de 2008
Olá! Tenho uns memes atrasadíssimos pra fazer, então fico com um muuuuito legal que a Ira me passou em 1720, ah.. como éramos felizes naquele tempo.

1) acesse http://en.wikipedia.org/wiki/Special:Random – o título da primeira página aleatória que aparecer será o nome da sua banda.
2) vá pra http://www.quotationspage.com/random.php3 – as últimas quatro palavras da última frase da página formarão o título do seu disco.
3) acesse http://www.flickr.com/explore/interesting/7days/ – a terceira foto, não importa qual seja, será a capa do seu disco.
Eu já tinha feito pelo fórum e deu esse aqui. Mas esse da Ira deu:



E voltemos à programação normal deste blog.

Lua de Fel


Até agora só li pessoas que ou amaram, ou odiaram. Fiquei no meio termo, porque não consigo ser extremista assim. Achei a história do relacionamento central muito interessante, apesar de bizarrona, mas achei Hugh Grant nada a ver naquele papel e o final totalmente sem noção. Fora isso, a direção do meu querido Polanski é brega e não ajuda.
=(

E eu tô fazendo um especial diretores desenhados. Começou porque desenhei o Tarantino pra um amigo, e aí tive a idéia de desenhar todos que eu gosto. O terceiro da série foi o Tim Burton e eu me empolguei tanto que fiz um vídeo pra postar hahaha Ignorem a qualidade e a minha voz também. (esses posts tão muito interativos hahaha)

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=Y2wCFbQ_EI4&hl=en&rel=0&color1=0x2b405b&color2=0x6b8ab6&border=1]

Sonho divino

16 de May de 2008
Essa noite eu sonhei com Deus. Significativo, um momento de reflexão. Deus era Antonio Fagundes (ê falta de criatividade) e podia voar. Ele era meu amigo e me levava nas suas costas enquanto voava. Mas pra quem pensa que a vida de Deus é fácil, está muito enganado! Ele tem que enfrentar as inusitadas peripécias do diabo, protagonizado por Tarcísio Meira. Grande elenco sob minha direção! :)

Tenho filmes e livros atrasados pra falar. Vou começar pelos filmes:

Iron Man
Apesar de todo alarde que muita gente fez pela internet e tal, eu nem tava esperando por esse filme. Primeiro porque não sou muito ligada em super heróis e quadrinhos e tal. Bem.. é só por isso, na verdade hehe E ainda pensei que fosse ser uma coisa meio Motoqueiro Fantasma – broxante. Mas não é que o filme é legal? Aprendi a história do incrível homem de ferro, ele ganhou muitos pontos comigo por ter virado humanitário, é engraçado e eu até saí da sala de cinema gostando da
Gwyneth Paltrow! :) Muito bom, e fiquem até o final dos créditos. Agora eu quero ver o filme do Thor! ^^

Cidade dos Anjos

Acreditam que eu nunca tinha visto esse filme? Tipo, na época foi um “boom”, meninas derretidas, meninos admitindo que choraram, o clipe do Goo Goo Dolls passando loucamente na MTV. Eu já sabia toda a história, mas nunca tinha visto. Achei bem triste mesmo o final, mas também achei o personagem do Nicholas Cage muito bobo. Não? Sei lá, e a forma que eles se conheceram e se aproximaram, meio do nada… mas gostei. Agora quero ver o filme original, que aqui no Brasil tem o nome de Asas do Desejo (e dizem ser bem melhor).


Viagem a Darjeeling

Aquele tipo de filme diferente e cabeça que quando termina você não sabe dizer se gostou ou não. A fotografia é linda, muitas cores e aquelas paisagens típicas de um filme off road pela Índa. O que não me agrada muito é a históra linear, no estilo Sideways, onde nada de especial acontece em nenhum momento especial e fica aquele clima estranho, mas acho que isso é um padrão hollywodiano de se pensar – e esperar por isso também. Enfim, vale a pena.

E de volta aos livros, já que faz tempo que não comento nada por aqui:

Como vocês podem lembrar (ou não, nesse caso clique aqui), eu tava lendo esse livro do Julio Verne. Demorei pra ler, porque embora seja fininho, as letras são miúdas e a história é meio arrastada (dá agonia e frustração ao longo do caminho). Mas, apesar de tudo, achei o livro bem legal! Muitos detalhes, algumas piadinhas no meio e o personagem principal tem muita empatia. Vou ver se leio mais livros dele, mas estou pensando em começar a ler Edgard Allan Poe.

No momento, tô lendo pela segunda vez (da primeira só comecei e não terminei) O Guia Do Mochileiro das Galáxias! :) É muito bom..

E era isso, acho que já citei coisas demais por aqui hahaha Beeeijos! ;)

Página 3 de 41234