Dá-lhe Hipoglós

24 de Fevereiro de 2009

E na bundinha, não vai nada? Esse deveria ser o verdadeiro slogan de Hipoglós, fikdik.

Mas enfim… não pensem que é sobre assaduras de bebê ou situações da vida em que nos fodemos que vou fazer esse post. É algo bem mais simples: lábios rachados. Como é uma época que muita gente vem da praia e do sol, é comum ficar com os lábios ressecados. Mas também tem aqueles que mesmo sem esses atrativos de verão sofrem desse problema. É o meu caso! Essa é uma história real. Então eu decidi dar um basta nisso tudo. Já tenho muitos problemas, quero pelo menos poder sofrer com lábios macios e lisinhos!

Daí eu varri o Google rapidamente e pensei em comprar Hipoglós pra ver qualéquiéra. A verdade é que Hipoglós fede. Nossa, e como fede. Não é a toa que é um troço pra ser usado na bunda. Me desculpem a sinceridade, mas parece cheiro de peixe fresco. Entretanto, funcionou. Quer testar?

Vamos ao passo-a-passo deste incrível tratamento:

1º: Compre um tubinho de Hipoglós (eu comprei o pequeno da foto, de 45g)
2º: Prenda a respiração
3º: Passe uma camada nos lábios antes de ir dormir. Hipoglós é uma das coisas mais econômicas do mundo. Um pinguinho e você já pode passar no corpo todo quase. Sabe Xuxa e Monage? Pois é.
4º: Vomite (opcional)
5º: Durma toda melequecada e fedida
6º: Ao acordar, corra pro banheiro tirar essa porcaria
7º: Enxague com bastante água
8º: Hihi, enganei você. Água não adianta, Hipoglós é tipo impermeável. Tente colocar algum óleo ou creme tipo Monange e aí sim tirar com água.

O processo todo é bastante facilitado para quem está gripado, não tem nariz ou é o Michael Jackson, pois resume-se então a apenas três passos.

Também li que é bom pra pele, pra espinhas e pra mais um monte de coisa. A Glória Maria usa (na verdade ela deve dormir mergulhada numa banheira de Hipoglós) e parece que se não fosse isso, ela nem seria negra. Enfim, experimentem e venham reclamar/elogiar aqui nos comentários.

Função pré-festa

19 de Janeiro de 2009

Não sei se acontece com vocês, mas eu adoro ver penteados em época de Globo de Ouro e Oscar. Parecem tão duradouros, tão perfeitos, tão glamour. Mas geralmente quando o assunto é meu cabelo, eu acabo fazendo sempre a mesma coisa pra festas: liso com cachos nas pontas (que só duram apenas algumas horas).

Mas aí ver o cabelo aloka-mas-lindo da Drew Barrymore no Globo de Ouro 2009 muda tudo na vida de uma pessoa. Tive uma formatura semana passada e resolvi pesquisar penteados diferentes dos que eu normalmente uso. Depois de muitos sites furrecas com dicas clichês, lembrei da revista InStyle.

Ele tem uma área que funciona como um super catálogo de cabelos de atrizes em diferentes momentos e estilos: casamentos, ondulados, lisos, curtos, compridos, de franja, presos, etc. Tudo separado em categorias pra ir direto ao assunto! Pras fãs de Gossip Girls, lá tem a categoria de estilo das atrizes que fazem parte da série! Também tem o “look do dia” de alguma celebridade.

Além disso, tem também dicas de bons produtos de uso profissional e o Hollywood Hair Virtual Makeover, uma daquelas ferramentas que você envia uma foto sua de cara limpa e pode “experimentar” qualquer um dos cabelos que você viu no site.

Eu gosto de ver, colar os que eu mais gostei no Photoshop, imprimir e levar pro cabelereiro. Aí ele me dá dicas, a gente conversa e inventa coisas baseados naqueles modelos que eu escolhi! Também é legal de ver as maquiagens. Não tem passo-a-passo nem nada, mas dá pra se inspirar numa boa! Vejam a diferença que fez olhar esse site:

1 – Estilo Formatura Aline. Cabelo liso e solto. That’s me!
2 – Estilo Minha Formatura. O clássico liso com cacho nas pontas.
3 – Estilo Formatura Paulinha. Cabelo inspirado pela Selena Gomez e maquiagem inspirada por esse look da Scarlett Johansson.

Assim como a minha rápida e pequena “transformação”, lá no site da InStyle também dá pra acompanhar como era o estilo de cabelo de algumas celebridades ano após ano até 2009. É bem engraçado, e motivacional também. Afinal, se atrizes com personal stylish já fizeram cagadas, quem somos nós pra nos acomodar? haha

Espero que gostem das dicas e ahazem nas festinhas! ^^ *piscadinha meio canastrona pra câmera 2 – É com você Ana Maria Braga!*

Favoritos: Sugar Shoes

17 de Janeiro de 2009

É uma marca de sapatos totalmente desconhecida pra mim até ver um outdoor na estrada quando vim pra praia. O problema é que eu esqueci como era o nome da maldita marca e não pude procurar nada no Google. Porque o cérebro é assim, às vezes você precisa deletar algumas coisas pra guardar novas informações, como por exemplo, como dobrar as roupas da viagem no guarda-roupa. Acontece que nessa semana eu fui dar um pulinho rápido (e rápido mesmo) em Porto Alegre, e hoje, na volta, fiz questão de grudar meus olhos nos outdoors da estrada. Tava lá: Sugar Shoes!

A Sugar Shoes é uma marca relativamente nova no mercado e que eu nunca vi por aí pra vender, mas tem lojinha virtual no site. Basta cadastrar, logar e escolher os modelitos. Os preços variam entre R$ 60,00 – R$ 100,00. Depende exclusivamente do modelo e da estampa.

Eu me apaixonei pelos sapatinhos de bico fino e redondo com salto, mas têm também uns peep-toe’s, sapatos com salto bem baixinho, salto anabela (não curto muito) e sapatilhas. Eu sempre vi o “all star de salto” nos pés de outras pessoas e nunca achei pra comprar. Lá na lojinha virtual tem esse modelo, e em várias cores e estampas, até no estilo brilha-brilha-estrelinha! *_____*

Os nomes dos modelos são todos de doces, ou seja, além de você gastar comprando o sapato, engorda espiritualmente. Achei muito fofo e quis dividir com vocês, pois com certeza vou guardar nos meus favoritos pra não esquecer de novo o nome! =)

Mal de parkinson depilatório

7 de Janeiro de 2009

Eu já falei sobre depilação aqui, e continuo me depilando com cera com a mesma pessoa. Porém, ah porém, às vezes surgem aqueles imprevistos. Um convite inesperado para uma piscina, e você tá lá, beirando o chewbacca. Bate aquele leve desespero, e o que acontece? Um buraco luminoso abre no céu e aparece uma gilette flutuante com raios dourados na sua frente. É o milagre da vida, o fim dos pêlos. Oremos para Santa Lisa de Deus.

Tudo seria uma boa saída se eu não tivesse um pequeno problema de coordenação motora com as minhas mãos. Talvez seja por excesso de culpa, já que todos sabemos que usar a gilette é algo feio, bobo e recriminado pela Igreja Católica, pois mutila os pêlos ao invés de retirá-los pela raíz. Então, acontece o temido: eu sempre me corto. Sempre. Ou é na parte da frente da canela, ou do lado no tornozelo. Aí eu descubro que aquela luz que abriu não era do céu e sim do inferno, porque nunca é um simples corte. Não, é sempre algo que nunca mais pára de sangrar. Mas isso acontece na primeira perna e eu ainda tenho a outra (e agradeço por isso, mas…) pra depilar, dando início à difícil tarefa de conter o jorro incrível de sangue de um lado enquanto depilo o outro.

Quando acabo, saio do banheiro para o quarto, deixando um rastro de sangue tipo soldado voltando da guerra. Se alguém perguntar o que houve, não gosto de admitir que sofro de mal de parkinson depilatório e respondo “nada”, o que só agrava a situação. E menos de cinco minutos, mais de 10 pessoas estão batendo na porta e tem uma sirene de ambulância no portão. Eu continuo sangrando por horas, e então resolvo que o melhor a fazer é simplesmente vestir uma calça para sempre e jamais me relacionar com alguém que tenha piscina em casa.

Ok, pode não ser bem assim, vai… mas é incrível como sangra aquele porcaria de corte.

O dia do meu casamento

20 de Dezembror de 2008

Voltemos no tempo e olhemos para uma garotinha de 12 anos que jamais pensaria em casar, muito menos ter filhos, imaginando-se uma poderosa executiva que dedicaria todo o seu tempo para os negócios e os futuros problemas de coração que o stress e o trabalho lhe acometeriam. Sim, eu era essa pessoinha amarga que achava que bastava a ganância e o dinheiro para ser feliz. Porém, muitas coisas aconteceram e eu passei a ser uma pessoa que agora sonha com quais docinhos escolher pro buffet do casamento, qual das minhas amigas será a dama de honra, filhos pra vestir, ceia de Natal farta e feliz ao som de Jingle Bells Rock, mãozinhas pro ar e todos vendo o show do Roberto Carlos de final de ano… er… acho que deu pra entender a transformação, né? Enfim, eu virei gentem como a gente.

Porém, desconfio que as coisas estão saindo um pouco do controle, uma vez que há algumas semanas eu quase comprei um vestido de noiva. Pois é, tudo começou com uma revista de produtora de eventos largada numa cafeteria e que eu peguei pra folhear enquanto o André foi no caixa. Eram muitas empresas que pareciam de alta qualidade e bom atendimento, com sugestões de buffet, decoração, vestidos, maquiagem, presentes pros noivos, cabelos, lembrancinhas… :shock: O André jamais poderia imaginar que o tempo de pedir um capuccino seria o tempo em que todo nosso casamento seria planejado.

Imaginei o casamento num lugar ao ar livre, mais ou menos 200 convidados (entre eles Paul McCartney, que mais tarde cantará a capela e emocionará todas as velhinhas de plantão – afinal, estou imaginando) e a festa numa cobertura ampla e iluminadíssima tendo como cenário toda a cidade de Porto Alegre. Não, de SP. Ah, foda-se, Nova York. No buquet lírios brancos e a música de entrada poderia ser uma cópia exata da cena musical mais fofa de Simplesmente Amor. Pela revista, já escolhi qual empresa ficaria encarregada do bolo e docinhos, ensaiei discar os número do meu cabelereiro pra perguntar se ele estaria livre durante qualquer dia de 2009. Depois pensei em abolir tudo isso e fazer o casamento judeu, porque parece ser muito mais divertido ser levantada numa cadeirinha, dançar musiquinhas típicas em roda e beber vinho. Pena que ninguém da família é judeu.

O André voltou com o capuccino, reclamou alguma coisa do atendimento e eu achei melhor não comentar nada e esquecer o assunto. E realmente esqueci. Até semana passada eu passar por uma loja de vestidos de festas e ver um vestidinho branco de renda, super simples, que combinaria perfeitamente com qualquer cerimônia. *___* Perguntei quanto era, comentei com a melhor amiga, contei pra minha mãe. “Bruna, até lá o vestido vai amarelar” foi o suficiente pra me desanimar. Aí eu resolvi ir pra casa comer bolinho com Nescau e jogar Wii.

Esse é um maker de noiva que a Lia postou no blog dela faz um tempinho, mas eu vou usar a minha belíssima criação apenas para ilustrar o post. Clique na imagem e faça a sua noiva também!

Página 3 de 6123456