Ser perfeita exige esforço

30 de Abril de 2009

Sempre tem aquela amiga que todo mundo acha perfeita. Não necessariamente uma amiga, pode ser uma prima, uma colega de trabalho, ou uma simples conhecida. Aquela guria que diz que lava o cabelo com sabão de côco e mesmo assim ele é super hidratado. Aquela que nunca se atrasada pelo simples motivo do despertador não ter tocado. Tem sempre uma história maior, mais engraçada, mais triste ou mais bizarra pra contar. Sobre qualquer assunto. As festas dela são as melhores, os amigos dela são os mais queridos, os ex-namorados os mais lindos, as viagens as mais loucas e a grama a mais verde. Além disso, ela é a melhor filha, a melhor amiga e a melhor namorada. Ela conhece todas as bandas cool do momento, todos os filmes alternativos, todos os lugares da Europa e já fez tudo que você pensar em querer fazer. Mas nem tudo é um mar de rosas, como ela faz questão de frisar. Ela também quer ganhar de todo mundo quando o assunto é problema. É ela que tem as piores histórias de família, as noites mais mal dormidas, o carro mais batido e os piores diagnósticos médicos. Ela é sofredora. Ela é praticamente Maria do Bairro. Mas ela não se abate. Não. Ela tira de letra todos esses problemas tendo as maiores noitadas da vida de qualquer ser humano. E tem mais! Sabe aquele famoso que você viu no aeroporto? Pois é, ela já viu ele duas vezes e inclusive numa delas beberam juntos numa festa VIP que ela conseguiu ingressos porque tem muitos amigos populares. Sabe aquela viagem que você fez pra serra no feriado? Parece que ela foi apenas com uma enorme mochila e de patinete pro Rio e teve o melhor final de semana de todos os tempos. Sabe esse post? Ela escreveria melhor. Sabe essa amiga? Ela é uma farsa. Sabe o que é pior? Ninguém mais nota isso.

Mal de parkinson depilatório

7 de Janeiro de 2009

Eu já falei sobre depilação aqui, e continuo me depilando com cera com a mesma pessoa. Porém, ah porém, às vezes surgem aqueles imprevistos. Um convite inesperado para uma piscina, e você tá lá, beirando o chewbacca. Bate aquele leve desespero, e o que acontece? Um buraco luminoso abre no céu e aparece uma gilette flutuante com raios dourados na sua frente. É o milagre da vida, o fim dos pêlos. Oremos para Santa Lisa de Deus.

Tudo seria uma boa saída se eu não tivesse um pequeno problema de coordenação motora com as minhas mãos. Talvez seja por excesso de culpa, já que todos sabemos que usar a gilette é algo feio, bobo e recriminado pela Igreja Católica, pois mutila os pêlos ao invés de retirá-los pela raíz. Então, acontece o temido: eu sempre me corto. Sempre. Ou é na parte da frente da canela, ou do lado no tornozelo. Aí eu descubro que aquela luz que abriu não era do céu e sim do inferno, porque nunca é um simples corte. Não, é sempre algo que nunca mais pára de sangrar. Mas isso acontece na primeira perna e eu ainda tenho a outra (e agradeço por isso, mas…) pra depilar, dando início à difícil tarefa de conter o jorro incrível de sangue de um lado enquanto depilo o outro.

Quando acabo, saio do banheiro para o quarto, deixando um rastro de sangue tipo soldado voltando da guerra. Se alguém perguntar o que houve, não gosto de admitir que sofro de mal de parkinson depilatório e respondo “nada”, o que só agrava a situação. E menos de cinco minutos, mais de 10 pessoas estão batendo na porta e tem uma sirene de ambulância no portão. Eu continuo sangrando por horas, e então resolvo que o melhor a fazer é simplesmente vestir uma calça para sempre e jamais me relacionar com alguém que tenha piscina em casa.

Ok, pode não ser bem assim, vai… mas é incrível como sangra aquele porcaria de corte.

Curiosidades

26 de Dezembror de 2008

A Gabi e a Manuela me passaram um meme parecido com aquele do #prontofalei, porém é mais como curiosidade e não queimação de filme. hahaha Regras:
1 – Linkar a pessoa que te indicou.
2 – Escrever as regras do meme em seu blog.
3 – Contar 6 coisas aleatórias sobre você.
4 – Indique mais 6 pessoas e coloque os links no final do post.
5 – Deixar a pessoa saber que você a indicou, deixando um comentário para ela.
6 – Deixar os indicados saberem quando você publicar seu post.

1. Praticamente morei numa chácara até 7 anos de idade.


E meus animais de estimação eram pintos. Sem teorias freudianas, ok? hahaha Meu avô levava eu e meu primo no graaaaande centro de uma rua só da cidade de Viamão e a gente escolhia um pintinho pra cada um. Os nomes eram de uma criatividade incrível, e variavam entre amarelinho, manchinha e marronzinho. Depois de um tempo, quando eles cresciam, iam para a pintolândia e eram facilmente substituídos por clones.

2. Já escrevi um livro.


Ok, ok. Eu participei de um livrinho infantil. Com outras crianças do colégio. Mas minha historinha foi a única escolhida, e abria o livro com muito glamour. Eu dei palestrinhas sobre como foi o longo processo de maturação da idéia até virar um quase best-seller, e só tinha 10 anos. Vocês podem imaginar a profundidade das minhas frases. E da historinha também.

3. Não tenho nenhuma habilidade estranha.


Virar estrela, dobrar a língua, lamber o cotovelo, encostar a língua no nariz, fazer meu umbigo falar e o caralho a quatro. Não nasci com o dom pra nenhuma dessas modalidades bizarras.

4. Passei de manequim 36 para 40 em um ano.


Os fatores que colaboraram foram muitos, mas só posso dizer que engordei 13kg. Atualmente, perdi 4kg desses todos que engordei, e não pretendo mais mudar nada no meu peso! O único problema foi que tudo isso ajudou muito pra eu ter os problemas que tenho hoje de insulina alta.

5. O box é meu palco.


Cantar no banho é normal, quem nunca fez isso, né? A questão é que meu banho é mágico, e eu converso com pessoas imaginárias, faço coreografias, protagonizo cenas de filmes, ganho o Oscar, dou entrevistas, gravo depoimento semi emocionado pro Arquivo Confidencial, toco com minha super banda… Bom, se um dia a água do planeta realmente acabar, vocês já sabem quem culpar.

6. Eu já caí de uma altura de 6 metros num poço de luz.


E não quebrei nenhum ossinho. Eu tinha 13 anos e tava na casa de uma colega do colégio, onde mais ou menos 15 pessoas formavam um maldito grupo de teatro de inglês. Fui brincar de equilibrista na ponta de um terraço, pisei numa lajota molhada, ela se espatifou e eu caí. Ouvi gritos e algumas pessoas pensaram que eu tinha morrido, e alguém até ensaiou se jogar na piscina, devido a um mal entendido. Mas eu levantei, subi umas escadas, reencontrei o pessoal e fiquei deitada num sofá esperando minha mãe. WOW, minha vida é uma aventura, hein? hahahaha

Vou fazer um esquema inteligente que aprendi com a Vy: os seis primeiros que comentarem são os indicados pro meme! =D

E as premiadas foram: Vy (a própria!), Therry, Dani, Anna, Lya e Carolina.