Dicionário da TPM

25 de March de 2009

Acho que talvez 99,9% dos homens não entendem, e pelo menos 99,9% não se conformam, mas ela existe. A TPM. O processo todo, na verdade, é bem simples: enquanto uma parte do nosso corpo se autodestrói e tenta expelir seus restos mortais nos momentos mais impróprios do nosso dia, algumas das palavras mais banais do nosso cotidiano adquirem novos significados na nossa mente desequilibrada.

Por exemplo, o seu chefe não é mais apenas alguém com um poder superior ao seu dentro de uma empresa. Não, ele é o capeta em forma de empresário que, acima de tudo, só pensa em ferrar com a vida de todo mundo, inclusive a sua. Não satisfeito, justo no dia em que seu útero resolveu virar sádico, ele humilha você na frente de todas as suas colegas. Colegas estas que deixam o posto de pessoas que fazem parte da mesma coorporação que você e imediatamente assumem o de bando de vacas que tem o cabelo e a bunda muito melhores do que a sua e adorariam roubar o seu namorado. É verdade, pode procurar no dicionário da TPM. O namorado, por sua vez, se transforma num cara mega insensível que acha que consegue agradar uma mulher apenas presenteando-a com flores, chocolates e uma réles declaração numa faixa de avião. Nos poupe. Aí você vai dormir concluindo que o mundo, aquilo que antes era considerado o conjunto de espaço, corpos e seres que a vista humana pode abranger, definitivamente significa um lugar sujo e injusto que nunca vai entender e valorizar a pessoa que você é. A vida acabou.

No outro dia, depois de ter cuspido na cara do seu chefe, saído no tapa com duas loiras oxigenadas do trabalho e ameaçado mais de 27 vezes terminar o namoro, você acorda e pensa: “Nossa, como eu tava chatinha ontem! Que boba!” e vive tranquilamente por mais 28 dias como se nada, nunca, tivesse acontecido.

Eu não sei plagiar

17 de March de 2009

Eu juro que me esforço, mas não consigo. Tem dias que posso ficar horas na frente de uma folha do Word, um documento do Photoshop ou meu bloquinho promocional da firma do meu pai, mas meus dedos não conseguem digitar, meus botões do Photoshop parecem estar em japonês e minhas mãos não sabem mais escrever. Abro o guarda-roupa, não sei mais o que vestir, não gosto mais de nada que eu tenho, não sei mais nem porquê eu o abri. Olho pro meu quarto e concluo que tenho um péssimo senso de combinação, e, pior ainda, de personalidade! Meu relógio do Garfield não combina muito com meus títulos de livros empilhados na prateleira, e muito menos com a estátua de madeira de gato indonésio ao lado da porta.

E aí então que me proponho à única solução que encontro: plagiar pra conseguir uma uniformidade. Abro o Google, leio blogs, ligo a TV, folheio revistas, observo as pessoas na rua. Procuro idéias, pensamentos, frases, imagens que materializem diretamente os conceitos que meu cérebro sabe que quer, mas não consegue falar. Pensando bem, acho que a vida toda eu fiz isso. Anotei mentalmente estilos que eu queria ter, escolhi com que letra caprichosa gostaria que a minha parecesse, treinei meus jeitos de falar. Mas tudo foi… em vão. Acabava sempre pegando um modelo e na hora de copiar, saía do meu jeito mesmo. E de tanto tentar ser alguém, virei eu mesma.

Não sou 100% original, sei que não. Mas também nunca consegui ser cópia de ninguém.

A mulher diabo e o feitiço do bigode

8 de March de 2009

Gil sempre foi uma criança sapeca, que passava horas se divertindo ensaiando passos da Gaiola das Popozudas em frente ao espelho, sonhando em um dia ser a rainha do baile de sainha. Gil cresceu, abandonou seu sonho de ser musa da periferia e teve uma adolescência pra lá de normal, chegando até mesmo a se envolver em causas sociais e criar uma teoria, a teoria do Playmobil, onde ela indagava pela falta de bom senso nos cortes de cabelo e afirmava que ninguém possuia nariz. Talvez por isso ela acreditava que o mundo cheirava à merda. Um dia, estava ela navegando na internet quando, em meio à um clipe alternativo de Escoladuz, encontrou o homem de sua vida. Ele aparecia em frações de segundos, era como uma mensagem subliminar. Ela o procurou em academias, no orkut, em listões, em hospitais, em seus sonhos. Mas nada de achar o misterioso Escoladuz que ela apenas sabia que gostava de verde e de andar de carro. Gil passou anos chutando números de telefone, criando combinações de nome + sobrenome e, claro, olhando para cada carro com passageiros que passava em sua rua. E nada aconteceu. Sua fúria e decepção com o mundo foi tanta que chifres cresceram na sua cabeça e um garfo gigante passou a ser seu acessório preferido. Gil virou a Mulher Diabo. Mas essa não é a história de Gil. Essa é a história de Robbie, uma menina que nasceu sem nem mesmo ter buço. E isso é tudo que precisamos saber sobre ela. Certo dia, ela estava feliz e saltitante porque Jorge Versilo, seu amor platônico, a convidou para sair e resolveu comemorar ouvindo sua música preferida “i’m every woman”. Imediatamente tocou uma sirene vermelha em forma de coração na sala de Gil, a Mulher Diabo. Era um sinal de que um novo casal estava prestes a se formar. Ela precisava fazer algo a respeito. Correu para a casa de Robbie, desligou o som, rasgou o poster da turnê 2009 dos Backstreet Boys na parede e disse “tire esse sorriso idiota da cara, garota, porque a partir de hoje, ele será acompanhado de um belo bigode”. E despejou todo seu feitiço contra o antes liso buço de Robbie. Como se não bastasse, rogou que ela ficasse presa no mundinho do Carnaval.

Essa não é uma história real. Mas poderia ser, porque faz muito sentido se vocês olharem o Orkut delas.

Trote nº 3 pro TDB

¡Mira qué pasa neste bloguito!

6 de March de 2009

Voy a empezar este puoste diciendo que djo prefiero namorar un hermoso Oompa Loompa que dar uns amassitos con el garanhón de la vez chamado Robert Pattinson. ¿Qué? Usted no está de acuerdo? Pensa que Robert Pattinson es mucho mejor que un Oompa Loompa? Pois entonces voy a demostrar lo contrario. La garantia soy yo!

Yo namoro com un oompa loompa. Su nombre es Juanito y tengo muchos beneficios namorando este anãozito fuefo. Usted puede lebar un Oompa Loompa en cualquier lugar usando una maxi bolsa. Usted paga la mitad del cine tendo un Oompa Loompa como su compañero. Lugar en el busione? Sólo uno, gracias. Un Oompa Loompa serve como banquito, durme comigo en una cama individual e sobra siempre el lençol, es mucho más higiénico, ya que está siempre con luvitas e, finalmente, es un hombre mucho más maduro, comenzando con su pelego vierde. Ahora, creo que todo el mundo está convencido de que si, como no, un Oompa Loompa dá de diez a cero en cualquier bampiro metido a biesta.

Post para o trote do Tudo de Blog.

Explicaciones:
Idéia super maluca das veteranas e que eu achei ótima, porque atualmente citar Robert Pattinson num post deve me render umas 24982 visitas. Por aí. A pergunta que não quer calar: por que portunhol? Porque o clima de sedução, azaração e oompa sacanagem estava no ar e assim es mucho más caliente. Mas foi idéia das gurias também.

22 anos em um post

4 de March de 2009

Categorizei meu blog como “blog de opinião”. Porém, lembrei dos áureos tempos de infância e adolescência no colégio (e na faculdade também), onde eu sempre fiz o papel da guria do fundo que vai bem nas provas, não pega ninguém e nunca levanta um dedo sequer pra comentar matérias ou fazer perguntas durante a aula. Foram-se os seminários, as simulações de audiência, os debates tórridos sobre os assuntos mais polêmicos, as palestras. Nada. Nunca disse um “ai” em público, a não ser, é claro, que me fosse perguntado algo. Foram anos com coisas engasgadas, e hoje eu concluí que pagaria por um intervalo inteiro no horário nobre da Globo pra dizer algumas coisinhas…

Sou contra o aborto. E a obrigatoriedade do voto. E as cotas para negros. Mas sou a favor das cotas para colégios públicos. E da pena de morte. E da legalização da maconha também. Policiais deveriam ser melhor remunerados. Eu acho que Capitu traiu Bentinho. Eu tô de saco cheio de 50% dos blogs que eu visito. Pessoas que em pleno ano 2009 não aceitam homossexuais são ridículas. Auto-descrições também. Eu cago pra modelos novos de celular e iPod. Eu assisto todos os BBB’s. Não entendo como a maioria das pessoas não tem nojo de comer algo que um dia teve olhos. Também não entendo como existe tanta mulher sem noção com biquini fio dental na praia. Acho total apelação mostrar ursinhos polares pra falar sobre aquecimento global. Não, eu não quero mais polenta de almoço. Tia, você nunca acerta nos meus presentes. Mariana, eu sei que você mentiu que foi pros Estados Unidos na quinta série porque vimos você andando no centro uma semana depois. Carla, você é uma vaca.

Pronto.

E vocês, tem algo a dizer? Libera geral, galerë!

Este post foi um oferecimento de TPM (dica: não estou falando de revista).

Este post foi republicado para atender à pauta do TDB: O que você postaria anonimamente? Ou: o que vc tem muita vontade de escrever (seja para desabafar, mandar recado para alguém, etc) no seu blog, mas não gostaria de ser identificada(o)?

Página 4 de 41234